Cuiabá,

segunda-feira, 15

de 

abril

 de 

2024
.

Copa 2014:Infraero homologa obras de ampliação do aeroporto Marechal Rondon

Cuiabá deu mais um importante passo para resolver o principal
gargalo em sua preparação para o Mundial de 2014 e até mesmo para pleitear com
mais força a Copa das Confederações de 2013. A Infraero homologou nesta
terça-feira (07.12) as obras de ampliação e reforma do aeroporto internacional
Marechal Rondon.




Investimentos na ordem de R$ 87 milhões garantirão
um terminal de primeiro mundo para a Grande Cuiabá.




A licitação ocorreu em Brasília no dia 3 de
novembro contemplando as obras de ampliação, reforma e estacionamento do
Marechal Rondon. A empresa vencedora do certame para a elaboração do projeto
foi a Globo Engenharia, de Pernambuco, única a participar da concorrência. Ao
todo sete empresas chegaram a manifestar interesse nas obras, mas apenas uma
participou.
 



A homologação significa mais um forte avanço para
o aeroporto que, no dia 17 de novembro, já tinha conclusão da licitação para
ampliação da área de desembarque. A obra foi denominada por muitos como um
“puxadinho” e confundida como o projeto definitivo visando preparar o
aeroporto para o torneio mundial da Fifa.
 



Com a licitação e homologação do projeto de
ampliação, o Marechal Rondon fecha o ciclo dos investimentos até o Mundial
2014.
 



A Globo Engenharia terá 180 dias para concluir os
projetos, segundo Kennedy. O passo seguinte será a licitação da contratação da
obra que será feita diretamente pela Infraero através da diretoria de
engenharia. Kennedy observou que o processo não terá envolvimento do Governo do
Estado que, há alguns meses, chegou a oferecer apoio no sentido de acelerar as
obras.
 



“São seis meses de trabalho intenso na
preparação dos projetos e não acreditamos que esses trabalhos serão antecipados
em muito tempo, uma vez que são extremamente complexos, em decorrência da
própria estrutura aeroportuária que se diferencia bastante da engenharia
comum”, afirmou Kennedy, complementando que sete empresas chegaram a
manifestar interesse nas obras do Marechal Rondon, mas apenas uma
compareceu. 
 



No sentido de evitar atrasos, a Infraero irá
dispor uma equipe de fiscais para acompanhar as obras. Esse grupo irá
supervisionar os trabalhos desde sua fase de projetos até a entrega. A
estimativa é de que até dezembro de 2012 o terminal Marechal Rondon esteja
totalmente pronto e “Cuiabá em condições de sediar a Copa das
Confederações”, disse Kennedy. “Isso é plenamente possível. O aeroporto
Marechal Rondon estará pronto com toda a certeza”, garantiu o
superintendente.
 



“Estou feliz por mais esta vitória. Já
conseguimos todas as licenças ambientais e podemos afirmar que estamos
adiantados neste processo. Pretendemos agora cumprir todos os prazos que o
Governo do Estado quer para deixar Mato Grosso preparado para a Copa das
Confederações. Todos os nossos planejamentos para atender a Copa 2014 estão
dentro do cronograma. Creio que não teremos problema algum”, afirmou
Kennedy sem descartar totalmente a ajuda do governo. “Não contamos com
imprevistos, mas eles podem ocorrer”, justificou.




A
obra




O superintendente da Infraero afirma que o novo
aeroporto Marechal Rondon “vai atender a todos os requisitos para
operações de voos domésticos e internacionais. Serão contempladas as salas de
embarque, desembarque, áreas de processamento de passageiros (check-in) e área
de estacionamento, entre outros. 
 



No entanto, Kennedy ressaltou que não haverá a
construção de uma nova pista e também descartou, para os próximos anos, a
construção de um aeroporto em Cuiabá. “Com as obras de ampliação e
reforma, a Grande Cuiabá estará garantida até 2018, tranquilamente”.
 



Para 2015, a ideia é trabalhar o projeto de
ampliação em outra etapa,  concluindo o plano de desenvolvimento do
aeroporto, com a mudança do terminal de passageiros para outro lado. “Isso
será de acordo com o desenvolvimento do Estado”, afirmou Kennedy.
 



“Puxadinho”




Sérgio Kennedy também procurou esclarecer sobre a
construção do módulo operacional, que vai atender imediatamente a demanda até a
conclusão das obras de reforma. A licitação já ocorreu e a ordem de serviço foi
assinada no dia 19 de novembro. No momento, a empresa está concluindo a
elaboração do projeto, a cargo da DMDL Montagem. O projeto concluso será
apresentado até o próximo dia 19.
 



Assim que aprovado, o projeto tem prazo de 120
dias para ser concluído, fora do papel. Esse módulo operacional não visa o
Mundial de 2014. É uma obra para oferecer conforto para os passageiros e
alimentar a capacidade de processamento na área de desembarque. Quando as obras
de ampliação tiverem início, a atual área de desembarque será destruída. 
 



“O ‘puxadinho’, como estamos projetando, é
uma ferramenta que funciona muito bem. Na África do Sul deu certo e nos Estados
Unidos funciona muito bem, com processamento de 30 milhões de passageiros em 10
anos”, disse. “Trata-se de algo impressionante e nós brasileiros
temos essa mania de chamar de puxadinho”, desabafou Kennedy. 
 



Agecopa




A notícia da homologação das obras do aeroporto
Marechal Rondon foi muito bem recebida pela Agecopa (Agência Executora das
Obras da Copa do Mundo no Pantanal). “Isso nos dá tranquilidade. Algo que
é tão importante para a Fifa quanto o futebol e tem um investimento de 87
milhões é fundamental para a Copa do Mundo. Isso [a reforma do aeroporto]
estando dentro do cronograma e sendo entregue em dezembro de 2012, nos dá a
certeza de que podemos trabalhar com segurança e até pensando na Copa das
Confederações”, afirmou o diretor de relações interinstitucionais,
Agripino Bonilha Filho.




A princípio com tendência agressiva à Infraero
pela morosidade na definição das licitações de obras – há dois meses o
governador Silval Barbosa chegou a afirmar que se a empresa federal não agisse,
o Governo do Estado tomaria a atitude de ampliar o aeroporto por sua própria
conta -, a Agecopa acalma seu discurso, mas promete ficar de olho na
obra. 
 



“Não temos o papel de fiscalizador, mas de
colaborador. Vamos estar constantemente na intimidade dessa obra, até porque, a
Fifa necessita de informações periódicas das obras dos aeroportos em cada uma
das sedes. Nós somos aqui os portadores da Fifa para acompanhar e
informar”, observou Bonilha.

Notícias Relacionadas

Comentários

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here