Cuiabá,

sexta-feira, 19

de 

abril

 de 

2024
.

De virada, Mixto perde invencibilidade em Manaus

O Mixto conheceu em Manaus sua primeira derrota na Série D do Campeonato Brasileiro, perdendo também uma invencibilidade de 12 jogos. Foi derrotado, de virada, pelo América no Estádio do Sesi por 3×1 e logo quando não podia, no primeiro confronto mata-mata da 2ª Fase. Como marcou um gol fora de casa, o Alvinegro precisa vencer o jogo de volta, no próximo domingo, por no mínimo 2×0. Mas, poderia ter sido diferente. O Mixto começou impondo seu jogo sem deixar o América fazer valer o fator casa. No entanto, logo aos 14 minutos perdeu o lateral Parral, expulso, e o desenho da partida mudou, com o time cuiabano muito mais defendendo do que atacando.

1º tempo

Com Kiko no lugar do contundido Bruno Lança – mistério desfeito pelo técnico Luis Carlos Barbieri apenas minutos antes do jogo – , o Mixto começou o jogo compacto, seguro e tentando se impor, mesmo atuando fora de casa. O América encontrava dificuldades para se aproximar do gol de Laênio.

Aos 13 minutos a primeira boa chance para o Mixto. Verona finalizou após cobrança de escanteio e obrigou o goleiro americano a uma boa defesa. Deu rebote e a zaga afastou. Mas, curiosamente, a oportunidade de gol acabou resultando em problema para o Alvinegro pois na sequência da jogada o lateral Parral foi expulso ao cometer uma falta que ‘matou’ um contra-ataque do Mequinha. Como tinha levado um cartão amarelo minutos antes, também por cometer uma falta, o lateral tomou o vermelho e deixou o Mixto com dez jogadores.

O time do técnico Barbieri recuou e o América passou a ter maior posse de bola, mas continuava com dificuldades para finalizar. Somente aos 24 minutos o time da casa chutou a gol, com Diogo, mas sem perigo para o goleiro Laênio. Seis minutos depois Athos recuou mal uma bola para o goleiro mixtense e Amaral apareceu para salvar, evitando a chegada do ataque adversário. O América começou a chegar mais e aos 34 minutos o jogador Carlinhos chutou de fora da área obrigando Laênio a uma boa intervenção, colocando para escanteio.

Depois de um longo período o Mixto conseguiu chegar com perigo através de uma falta nas proximidades da área do goleiro Mailson, mas Athos cobrou para fora. Depois deste lance o técnico Sérgio Duarte mexeu pela primeira vez no seu time: trocou o meia Clailson pelo atacante Charles na tentativa de dar maior ofensividade ao time manauara.

Três minutos depois, no entanto, na marca dos 38, o Mixto saiu no contra-ataque, o artilheiro Patrick foi lançado no meio da zaga e tocou por cima do goleiro americano abrindo o placar e fazendo Mixto 1×0.

2º tempo

Para o segundo tempo o Mixto voltou com a mesma formação, mas o América fez outra alteração, indicando que iria partir pra cima de vez: saiu o volante Fofão e entrou o meia-ofensivo Luis Carlos, recém-contratado. E foi dele o primeiro chute a gol, logo a 1 minuto de jogo, mandando a bola longe do gol do Mixto. Logo depois, mais um chute de fora da área, desta vez do lateral Cleiton, com a bola raspando a trave de Laênio.

Não demorou e veio o empate do time da casa. Luis Carlos, aos 4 minutos, chutou forte da entrada da área no canto baixo direito de Laênio, fazendo 1×1. E, dois minutos depois, o mesmo Luis Carlos quase virou o jogo. Só então Barbieri tentou consertar a lateral-direita mixtense trocando Zé Paulo por Danilo. Patrick passou a ser o único atacante do Mixto.

Cada vez mais confiante e ofensivo, o América continuou levando perigo ao gol mixtense e finalizou com perigo novamente aos 15 minutos com Luis Carlos chutando e Laênio defendendo. O Mixto praticamente não conseguia mais passar do meio de campo. Esta superioridade da etapa complementar se transformou no gol da virada dois minutos depois com o atacante Charles, aproveitando vacilo da zaga e mandando pra rede: América 2×1.

Empolgado, a equipe amazonense continuou mandando no jogo e o técnico Barbieri reagiu tirando o meia Verona e colocando o zagueiro Diego Barros na esperança de reforçar o sistema defensivo, e evitar algo pior. Minutos depois o América tirou seu lateral-direito Diogo para a entrada do atacante Edinho.

O panorama não mudou, com o Mixto sendo sufocado, e aos 27 minutos o atacante Felipe apareceu sozinho na frente do goleiro Laênio e finalizou para fora. A zaga do Mixto parou pedindo impedimento.

Pedra mole, água dura. De tanto insistir o América chegou ao terceiro gol aos 33 minutos com Charles aproveitando um desentendimento entre os zagueiros cuiabanos e fazendo 3×1. Como aconteceu quando sofreu o segundo gol, o técnico Barbieri reagiu com uma substituição: tirou Athos, que não fez um bom jogo, e colocou William Kremer.

Satisfeito com o placar, o time da casa passou a jogar mais cautelosamente, sem avançar tanto, dando espaço para o Mixto tentar reagir. Aos 40 minutos o Alvinegro teve uma boa chance para diminuir num chute de Kiko, que o goleiro Mailson defendeu. Três minutos depois foi a vez de Patrick quase marcar, também obrigando o goleiro americano a uma boa defesa.

Os times:

América – Mailson; Diogo (Edinho), Guará, Rondinelli e Cleiton; Fofão (Luis Carlos), Batista, Carlinhos e Clailson (Charles); Ivan e Felipe.

Mixto – Laênio; Parral, Eduardo, Sérgio Rafael e Fabinho; Amaral, Verona (Diego Barros), Kiko e Athos (William Kremer); Patrick e Zé Paulo (Danilo).

Notícias Relacionadas

Comentários

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here