Cuiabá,

sexta-feira, 19

de 

abril

 de 

2024
.

Egito derrota a favorita Itália e adia a classificação do Brasil

Africanos ganham da Azzurra por 1 a 0 e deixam para a última rodada a definição das duas seleções classificadas do Grupo B

Itália e Egito fizeram um daqueles jogos impossíveis de se contar apenas com números. Os campeões mundiais chutaram mais a gol, tiveram mais posse de bola, obrigaram o goleiro El Hadary a fazer grandes defesas e, mesmo assim, saíram do estádio Ellis Park, em Joanesburgo, com a primeira derrota na Copa das Confederações . O Egito, mais eficiente, fez 1 a 0, gol de Homos, e levou a decisão dos classificados do Grupo B para a última rodada. O triunfo impediu que o Brasil se garantisse nas semifinais por antecipação.

Com o resultado, Itália e Egito somam três pontos, contra seis do Brasil e zero dos Estados Unidos. Na rodada final do grupo, domingo, Brasil e Itália se enfrentam em Pretória, enquanto EUA e Egito jogam em Joanesburgo. A seleção brasileira pode até perder por um gol que ainda assim se classifica, independentemente do resultado de EUA x Egito. Para ficar fora, o time de Dunga, que hoje tem saldo de gols 4, teria de perder por dois gols de diferença da Itália (hoje saldo 1) e, ainda, os egípcios (saldo zero) precisariam vencer os americanos por ao menos três gols de diferença.

Itália falha nas finalizações

Com mais posse de bola, a Itália dominava o primeiro tempo, mas errava muito nas finalizações. Foram nove chutes a gol, mas apenas dois obrigaram o goleiro El Hadary a trabalhar. Primeiro aos 23 minutos, em bomba de Iaquinta de fora da área que o goleiro defendeu em dois tempos com dificuldade. E aos 25, o egípcio precisou voar para espalmar para fora o belo chute de Rossi. Mesmo com três atacantes, a Itália praticamente só ameaçava com chutes de longe.

Já o Egito tentava incomodar principalmente com as jogadas pela direita de Fathi. Mas fosse pelo alto ou por baixo, Cannavaro, de volta após lesão, mostrava a segurança habitual de quem já tem mais de 100 jogos pela seleção no currículo. Só aos 38, os campeões africanos conseguiram realmente levar perigo. Após boa jogada de Zidan e Aboutrika, Rabbou recebeu já dentro da área, mas demorou a concluir e permitiu o corte da zaga.

Gol egípcio surge em escanteio