Foto:Assessoria


O Brasil tem motivos de sobra para comemorar o excelente desempenho no Campeonato Pan-Americano de BMX Racing, disputado no último sábado, 25 de maio, em Americana (SP). Na Elite, principal categoria da modalidade, Anderson Ezequiel conquistou o bicampeonato da prova, enquanto Julia Alves mostrou todo o seu potencial para conquistar a medalha de prata.

Anderson Ezequiel conquistou o bicampeonato da prova (2018-2019) em grande estilo. O brasileiro, que ficou em terceiro lugar no último mundial, fez uma prova bastante regular do início ao fim, evitou os erros e elevou bastante o ritmo na grande final, onde se desgarrou dos adversários e soube administrar muito bem a vantagem para conquistar mais uma vez o título continental.


“Estava me sentindo muito bem durante todas as baterias e isso foi muito importante para manter o incentivo. Procurei ficar muito focado para não errar, eu sabia que qualquer detalhe poderia fazer a diferença. Mas tudo acabou dando certo e estou feliz com o bicampeonato, desta vez conquistando o título dentro do meu país, perto dos meus amigos e da minha família”, destacou Anderson Ezequiel.


O pódio da Elite masculina ficou completo com o argentino Matias Jesus Brizuela, na segunda colocação, e o colombiano Diego Alejandro Arboleda, em terceiro lugar. A seleção ainda contou com Bruno Cogo e Renato Rezende no TOP10, terminando com a 8ª e 9ª colocação, respectivamente.


Revelação consolidada


Na Elite feminina, o alto nível apresentado pelas competidoras, que incluiu medalhistas olímpicas e mundiais, fez a prova ser uma das mais aguardadas da programação. A jovem revelação do BMX brasileiro, Julia Alves, de apenas 22 anos, mostrou que tem muito talento e conquistou a medalha de prata, ficando atrás apenas da bicampeã olímpica, Mariana Pajon, representante da seleção colombiana. A equatoriana Domenica Azuero ficou com o bronze.


“Eu larguei pensando muito na vitória, realmente competi com esse objetivo. Mas ao mesmo tempo eu sabia do alto nível das minhas adversárias e precisava ter cautela. No fim, tudo acabou dando certo, consegui seguir a Pajon bem de perto e aos poucos conseguimos abrir vantagem sobre as adversárias. Estou muito feliz com o resultado e espero poder continuar representando o Brasil da melhor forma durante os próximos objetivos”, declarou Julia Alves.


A colombiana Pajon liderou a corrida de ponta a ponta e colocou à prova os seus dois títulos olímpicos (2012 e 2016). Voltando de uma grave lesão, a atleta não escondeu a felicidade de subir novamente ao topo do pódio de uma competição tão importante.


“Fiquei um ano fora das competições devido a uma lesão no joelho e esse retorno está sendo muito especial. Eu sei que é um processo longo, mas aos poucos estou ganhando confiança e me conhecendo cada vez melhor. Voltar a vencer me faz bem e me deixa motivada. Esse título continental tem uma energia especial. O Brasil sempre me traz boas lembranças. O ouro conquistado na Rio 2016 vai fazer parte da minha história para o resto da vida”, destacou Mariana.


O Brasil ainda colocou outras três outras atletas na grande final. Após uma fazer uma excelente fase classificatória, Paola Reis ficou com a quarta colocação. Priscilla Stevaux foi a 6ª colocada e Maite Barreto completou em 7º lugar.


Nova geração

Para os atletas da nova geração, com idade entre 17 e 18 anos, da categoria Junior, não faltou disposição e muita energia durante as disputas acirradas entre os países inscritos. A equatoriana Romina Miranda ficou com a medalha de ouro no feminino, seguida pela chilena Macarena Rocio, prata, e pela colombiana Sofia Cadavid, que completou o pódio com o bronze. Mato Grosso foi muito bem representado, ficando com ótimos resultados nas categorias de base. Marina Godoy (Lucas do Rio Verde) foi vice-campeã no Pan e 3ª colocada no Latino de BMX. Já Luiz Godoy (Lucas do Rio Verde), foi 4º lugar no Pan e 6º lugar no Latino. Outros atletas ficaram entre os dez melhores. Manoel Lima, cita que essa base tem tudo para serem campeões em nível mundial.


Entre os homens, a Colômbia conquistou uma dobradinha com os pilotos Mateo Carmona, medalhista de ouro, e Juan Camilo Ramirez, prata. O Brasil também mostrou sua força através do piloto Vicente Garcia, terceiro colocado.

As demais categorias vão ser definidas neste domingo, 26 de maio, antes do início das provas da Copa Latino-Americana.


“Praticamente todos os países trouxeram muitos atletas das categorias de base. Essa preocupação é muito positiva para a renovação e o crescimento da nossa modalidade. E no Brasil não foi diferente, tivemos vários representantes e todos estão de parabéns”, comentou Kleber Santos, Coordenador do BMX Racing na CBC.


O Campeonato Pan-Americano de BMX Racing 2019 é uma organização e realização da Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC), com patrocínio da Penks Vestuários, e supervisão da União Ciclística Internacional (UCI), Confederação Pan-Americana de Ciclismo (COPACI) e Comissão Pan-Americana de Bicicross (COPABI).

 

Por: Da Redação com assessoria