O Procon Cuiabá e o Conselho Regional de Educação Física (CREF/MT) se reuniram nesta quinta-feira (17) para bolar estratégias e ações a fim de coibir o crescente número de irregularidades presentes em academias de ginástica da Capital. Segundo o órgão de defesa do consumidor, denúncias de cobranças ilegais e má qualidade na prestação do serviço têm sido os grandes problemas encontrados por frequentadores.

Ainda em fase inicial, a união de forças partiu do grande número de reclamações por parte dos frequentadores e ambas as entidades visam orientar as empresas e o consumidor, planejando ações futuras que serão executadas a partir do próximo mês.

“Muitos estabelecimentos funcionam clandestinamente e possuem equipamentos de má qualidade que comprometem o desempenho do aluno, além da ausência de profissionais da área de Educação Física no papel de preparadores. Muitas academias contratam pessoas inexperientes e que desconhecem os elementos cruciais ligados a essa profissão, considerando apenas os atributos físicos do candidato, como se isso fosse o único aspecto relevante e necessário”, afirmou Carlos Rafael Carvalho, diretor-executivo do Procon Municipal.

A escolha equivocada de preparadores físicos, personal trainers e professores tem colocado em risco a saúde daqueles que muitas vezes buscam apenas o corpo perfeito, que por vezes negligenciam fundamentos como qualidade de vida e condicionamento físico e são dissuadidos pelos profissionais que os orientam.

“Muitos frequentadores buscam se exercitar frisando apenas o corpo ideal e ignoram recomendações médicas essenciais, aspectos que um profissional da área de Educação Física sempre fortalece. É de suma importância adotar práticas saudáveis, mas com o foco correto. Por isso, firmamos essa parceria com o CREF, que vai nos orientar e nos dar todo o subsídio para que possamos alertar os consumidores e conscientizá-los quanto ao que é ou não permitido em se tratando destes espaços”, contou Carlos.

Por: Redação