O Cuiabá Arsenal foi o vice-campeão da Superliga Centro-sul ao perder para o Coritiba Crocodiles por 13 a 7 após um overtime (prorrogação) no último sábado (21). A data, no entanto, é vista como um marco positivo no esporte mato-grossense.

“O público que recebemos é a prova de que o futebol americano já é um esporte mato-grossense e que nossa população está sedenta de novos ídolos e atrações diversificadas. Embora não tenhamos dado a vitória que todos desejavam, sabemos que este jogo é um marco na história do país e isso muito nos orgulha”, comemora o presidente do Cuiabá Arsenal, Paulo César Ribeiro.

A fala de Paulo é embasada no número de 15.197 pagantes que compareceram para prestigiar o Cuiabá na grande final, recorde nacional na história do Futebol Americano no Brasil. Em 2015, a Arena Pantanal recebeu um número superior de torcedores apenas uma vez, no clássico carioca entre Flamengo e Vasco, quando o estádio recebeu 16.602 pessoas.

“Vamos continuar batalhando para elevar o nível do esporte e trazer mais momentos emocionantes como este para todos que nos acompanham”, concluí o presidente.

Detalhes

A tensão natural de uma final se viu mais marcante por conta de um público tão grande na Arena Pantanal. O Cuiabá Arsenal pode ter sofrido um pouco com isso, pois cedeu um TD logo no início da partida para os paranaenses e, já no último quarto, perdeu duas oportunidades de field goal.

“Aquelas luzes todas, os gritos de milhares de torcedores, foi de arrepiar, incrível! É essa memória que vou guardar comigo. Nós fizemos muitas coisas certas este ano e não se pode apagar isso. Agora é uma avaliação individual, depende de cada um saber o tanto que deu e o quanto poderia ter feito”, afirma o recebedor Heron Azevedo, autor do TD do Arsenal na final.

Com a vitória, o Coritiba Crocodiles tenta seu terceiro título nacional contra o João Pessoa Espectros, campeão da Superliga Nordeste, a partida acontece no dia 13 de dezembro na Arena Pernambuco, em Recife.

Foto: Neto Costa/Olhar Esportivo

Por: Thiago Mattos