Os cuiabanos Indinho e Severino se consagraram com a maior pontuação individual geral da 3ª etapa do 19º Campeonato Estadual de Jiu-jitsu, que ocorreu na semana passada, de 11 a 13 de dezembro, no Ginásio Poliesportivo Professor Aecim Tocantins, no Complexo da Arena Pantanal, em Cuiabá. O evento, organizado pela Federação Mato-grossense de Jiu-jitsu e Lutas Associadas (FMTJJLA), encerrou o calendário 2015 de competições da modalidade.

O atleta faixa azul, Josiel de Oliveira, de 17 anos, mais conhecido pelo apelido de ‘Indinho’, um ribeirinho do Rio Cuiabá, foi o maior pontuador da etapa com 40 pontos. O menino conquistou cinco medalhas de ouro nas categorias Juvenil Pesadíssimo, Juvenil Absoluto, Adulto Pesado, Adulto Absoluto e Iniciante Pesado Sem Kimono. E, segundo ele, a final mais difícil de vencer foi contra Otávio Santos no Adulto Pesado. A vitória foi por pontos com placar de 18 a 02.

“Achei a luta mais árdua por ter sido ganha por pontos. Tentei por diversas vezes finalizar e não consegui. Meu oponente teve êxito em defender todas as investidas. Mas foi essa busca pela finalização que desencadeou os pontos da vitória. Foi meu último ano na disputa de categorias juvenis. Vou fazer 18 anos e só poderei lutar no adulto. E essas conquistas no adulto já servem como preparação para a próxima temporada de campeonatos”, avalia Josiel de Oliveira.

O 2º lugar na pontuação individual geral da 3ª etapa foi o faixa roxa, Armando Felipe Ribeiro, de 19 anos, chamado de ‘Severino’, com 27 pontos. O rapaz é conhecido pelas medalhas em brasileiros e internacionais de jiu-jitsu e também em brasileiros e sul-americanos de Mixed Martial Arts (MMA). E, nessa última etapa do estadual, venceu nas categorias Adulto Leve, Adulto Absoluto e Avançado Pena Sem Kimono. Segundo ele, o resultado coroa o ano.

“A final mais dura foi contra Jacimar Borges no Adulto Absoluto. Venci com placar de quatro a dois. A luta começou comigo puxando para a guarda e imprimindo ritmo. Ataquei bastante, fiz pontos e na liderança administrar a pontuação. Segurei o placar até o fim. Esses ouros coroaram o trabalho do ano. Tive alguns percalços que desmotivaram. Cheguei a ficar seis meses sem treinar. Mas voltei com vontade. E com o sonho de ser campeão mundial de jiu”, conta Severino.

 

Faixas Preta

As lutas dos faixas preta Rillei Maldonado e Nemer Reichemback foram destaques da 3ª etapa do 19º Campeonato Estadual de Jiu-jitsu. Rillei foi o 3º maior pontuador individual da fase com 27 pontos (empatado com Severino). Venceu nas categorias Adulto Pesado, Adulto Absoluto e Master Absoluto. E Nemer foi o 4º lugar com 24 pontos. Ele faturou dois ouros no Pesadíssimo Sem Kimono e Master Pesadíssimo. E conquistou prata no Adulto Absoluto e Master Absoluto.

“Pratico jiu-jitsu há 15 anos. Mas tinha parado de disputar campeonatos. Foram seis anos sem competir. Voltei para cumprir com uma promessa feita para a minha namorada. De que ela ainda me veria lutar um estadual. Deu certo. Lutei em quatro categorias e medalhei em todas. E um dos combates mais difíceis foi o primeiro. O primeiro é sempre mais difícil. E como ele me conhecia, conhecia meu jogo, ficou na meia guarda amarrando”, comenta Nemer.

 

Mais Destaques

Também se consagraram José Luiz da Silva (faixa branca), Magno Rogério (faixa branca) e Max Milas (faixa azul). Ficaram em 5º, 6º e 7º lugares na pontuação individual, respectivamente. José Luiz ganhou no Adulto Pesadíssimo e Adulto Absoluto. E ficou em 4º no Iniciante Pesadíssimo Sem Kimono. Magno levou ouro no Adulto Pena, prata no Adulto Absoluto e bronze no Iniciante Leve Sem Kimono. E Max foi campeão do Master Absoluto e ouro no Adulto Pesadíssimo.

“Sou jornalista e empresário. Tenho 31 anos. Treino até três vezes por semana. E acho difícil conciliar a vida profissional com o esporte. Mas é preciso fazer atividade física para manter a saúde física e mental. E tenho paixão pelo jiu-jitsu. Sempre que posso vou para o tatame. E apesar de disputar campeonatos em MT e fora do estado, não me considero um competidor. Participo por gostar dos desafios. O atleta competidor, na minha opinião, é aquele que treina todos os dias. Mas não descarto um dia ser campeão brasileiro”, diz Max.

Categoria Para-atleta

De acordo com o presidente da Federação Mato-grossense de Jiu-jitsu e Lutas Associadas (FMTJJLA), Francisco José Fernandes, o ‘Chicão”, faz cerca de 10 anos que a instituição trabalha com projetos de inclusão social de Pessoas Com Deficiência (PCDs) por meio do esporte. E, segundo ele, nesse contexto, essa etapa do estadual não poderia ser diferente. Os para-atletas lutaram, subiram ao pódio e receberam as medalhas de honra ao mérito como todos os demais.

“Precisamos entender que o importante não é ganhar. Mas sim competir. Quando se estabelece para um desportista a meta de disputar um campeonato, o relevante é o caminho que ele traça para chegar nesse objetivo. Ele deixa o conforto do sofá da sala e a companhia da televisão para treinar e interagir. Com isso ganha em qualidade de vida. Fica com corpo e mente saudáveis. Desenvolve toda a coordenação motora e habilidades sociais, dentre outros”, frisa Chicão.

O para-atleta Vanderley Neves da Silva conquistou a medalha de ouro na categoria PCD faixa branca. Ele venceu a final contra Ezequiel Euzébio Guimarães com placar de um a zero. E o desportista Thiago George faturou a final contra Fabrício Galvão com placar de cinco a zero, na categoria PCD faixa roxa/preta.

Foto: Assessoria FMTJLA

Por: Redação