Foto:Thiago Mattos/Olhar Esportivo


 O judoca cuiabano David Moura será o último condutor da tocha olímpica em Cuiabá. O atleta que, por muito pouco não foi o representante brasileiro na categoria acima de 100 quilos, receberá a tocha de seu pai, Fenelon Muller.

David participou de entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (21), junto a representantes do Comitê Organizador das Olimpíadas, da Prefeitura de Cuiabá e do Governo de Mato Grosso, no auditório do Palácio Alencastro.

“Eu me sinto muito honrado em poder conduzir a tocha, ainda mais recebendo das mãos de meu pai, que é meu grande incentivador e, de certa forma, mantem o 'fogo' olímpico acesso em mim. Foi uma frustração grande não poder competir dessa vez, foi por pouco, mas essa é uma forma de eu ter minha participação”, afirmou David, visivelmente emocionado.

A maior personalidade olímpica de Mato Grosso deve receber a tocha por volta das 20h, no entorno da Arena Pantanal, fazendo um trajeto de 200 metros (saiba mais). David foi campeão pan-americano em 2015, nos jogos de Toronto.

Polêmica

As redes sociais ‘bombaram’ nesta quinta, com a notícia de que uma onça-pintada chamada Juma foi morta após participar de cerimônia envolvendo a tocha olímpica, em Manaus-AM, na manhã de ontem.

Em Mato Grosso, até segunda ordem, não há previsão de uso de animais nos municípios que receberão a passagem do símbolo olímpico, pela ordem: Várzea Grande e Cuiabá (23), Chapada, Nobres e Poconé (24).

Por: Thiago Mattos