Foto:Márcio Camilo (Seduc/MT) Larissa à esquerda


 Ela quase chegou lá por duas vezes. Dessa vez não quer perder a chance de jeito nenhum. É por isso que a índia Bakairi, Larissa Tyuiaki, 14 anos, treina firme para ser a primeira mato-grossense a conquistar o título de campeã de Luta Olímpica dos Jogos Escolares da Juventude, etapa nacional, que começa na próxima segunda-feira (19), na cidade de João Pessoa (PB).

Vai ser a terceira vez que a garota participa dos Jogos Escolares Brasileiros. Nas outras duas oportunidades ela foi bronze em 2014 e prata em 2015. Agora ela quer o ouro. A menina é uma dos grandes destaques da delegação de Mato Grosso, que participará dos jogos com 183 integrantes, entre atletas, técnicos e dirigentes.

Larissa tem sangue de guerreira correndo nas veias. Sua aldeia de origem está situada na região do município de Paranatinga (a 342 quilômetros de Cuiabá). Ela está em Cuiabá desde sexta-feira (9), para intensificar os treinos até o dia do embarque para João Pessoa. A preparação nessa reta final é feita com o professor Francisco José Pessoa Fernandes, o Chicão – uma das lendas do jiu-jitsu brasileiro, sendo o único mato-grossense graduado na faixa coral, o último nível de especialização da modalidade.

Larissa teve pouco descanso desde que chegou a capital, pois a rotina de treinos é puxada. Ela vai para o tatame todos os dias por volta das 06h e treina por três horas as técnicas de ataque e defesa repetidamente. Na parte da tarde o treino começa às 13h e só termina as às 22h. Não é fácil, mas disposição é o que não falta para a índia Bakairi.

Larissa está tão ansiosa com a possibilidade de conquistar o inédito ouro que literalmente tem sonhado com isso. “Todos os dias eu sonho que fui campeã de luta olímpica nos jogos escolares e me vejo subindo ao pódio com a medalha no peito”, conta.

Mas ela sabe que precisa manter a concentração e o foco para não ficar no quase de novo. Nas duas últimas edições, o nervosismo a atrapalhou para conquistar a tão sonhada medalha dourada. Dois anos depois, mais experiente, ela espera controlar os nervos e fazer história como a primeira lutadora mato-grossense a conquistar uma medalha de ouro na principal competição escolar do país.

O professor Chicão garante que talento não falta para a menina ter uma carreira brilhante. Ele ressalta que Larissa tem uma aptidão natural para lutas e sua estrutura corporal e facilidade para aprender as técnicas reforça isso. “O potencial dela é enorme. Com certeza é uma das favoritas a conquista da medalha de ouro nos jogos escolares”, reforça o mestre de jiu-jitsu.

Revelação

A índia Bakairi despontou em 2014 durante os Jogos Escolares da Juventude em Mato Grosso. Na oportunidade ela venceu as disputas regionais e se credenciou para representar o Estado na etapa nacional da competição. Logo em seu primeiro ano de brasileiro, ela faturou a medalha de bronze. No ano passado Larissa melhorou ainda mais o rendimento e conquistou a medalha de prata.

A garota foi descoberta pela professora de Educação Física, e também treinadora de artes marciais, Andressa Ueharo. Ela foi até a aldeia de Larissa em busca de meninas para formar um time de futebol, quando viu a pequena índia praticando uma luta tradicional dos bakairis. Ao perceber o talento da menina, Andressa decidiu levá-la para fazer um teste na Luta Olímpica e deu certo.

Se Larissa tem obtido resultados importantes, isso se deve muito a sua professora e técnica. Ueharo apostou no talento da garota e a preparou da melhor maneira possível, mesmo com tanta adversidade e falta de estrutura.

Jogos Escolares

Disputam os jogos em João Pessoa estudantes da categoria B (de 12 a 14 anos). A competição será dos dias 20 a 29 deste mês nas modalidades de atletismo, badminton, ciclismo, ginástica rítmica, judô, luta olímpica, natação, tênis de mesa, xadrez, basquete, futsal, handebol e vôlei.

A competição de abrangência nacional reúne milhares de alunos-atletas de instituições de ensino públicas e privadas de todo o país. Consideradas as fases seletivas, os números chegam a mais de dois milhões de atletas e cerca de quatro mil cidades participantes.

Além das competições, os jovens atletas têm a sua disposição uma ampla gama de eventos paralelos. O programa educativo e cultural abrange diversas atividades com o objetivo de aproximar os jovens de todo o país aos Valores Olímpicos e ao exemplo positivo da prática esportiva.

Por: Redação