Foto:Júnior Martins/FMTTM


 Caroline Kumahara sagrou-se campeã ao superar Bruna Takahashi na final da categoria adulta feminina, no 67º Campeonato Intercolonial Brasileiro de Tênis de Mesa, realizado de 20 a 22 de janeiro, no Ginásio Professor Aecim Tocantins, em Cuiabá.

A equipe ABC-Sul, da qual ambas fazem parte, faturou o 1º lugar geral com 803 pontos, o 1º lugar geral masculino e o 1º geral feminino. Em 2º lugar geral ficou Nova Central com 258 pontos e Mato Grosso ficou na terceira posição com 248.

“A Bruna é muito regular, acerta bastante e defende muito bem. E minha bola não é muito forte, o que é confortável para ela. Mas no início ela ariscou e errou muitas bolas. Daí venci os dois primeiros sets. Depois ela reagiu, começou a acertar, colocar duas ou três bolas a mais na mesa e venceu o terceiro set. Então retornei preparada para disputar cada ponto por mais tempo e fechei o quarto set em 11 a 8”, diz Caroline, seleção brasileira desde 2009 e olímpica em 2016.

Masculino

Akira Chikaraishi faturou o título de campeão ao vencer Henrique Hayashi na final da categoria adulta masculina. Ele é filho do lendário Toshio Chikaraishi, que foi 15 vezes campeão individual no intercolonial, sendo 11 delas em sequência na categoria veteranos. Segundo Akira, o pai foi o grande incentivador para a prática do tênis de mesa. Ele conta que começou a praticar aos 08 anos de idade e chegou a jogar profissionalmente, mas parou lá pelos 23 anos para estudar.

“O preparo físico, a velocidade e a agilidade deles é muito superior à minha, que estou com 43 anos. Então consegui vencê-los na tática. Como a garotada gosta de atacar, tentei impedir isso. Encurtei o jogo ao máximo para não atacarem. Eu jogava a bola próximo da rede e isso obrigava eles a cozinhar ou devolver num golpe leve. Assim levei e como são afobados, cometeram muitos erros”, revelou Akira Chikaraishi.

Desafio dos saques

Hugo Hoyama, participante de seis olimpíadas, esteve em Cuiabá na última sexta-feira (20), para o desafio dos saques, no Goiabeiras Shopping. Como ninguém conseguiu devolver cinco saques consecutivos do astro, a moto 0km ficou guardada para uma próxima oportunidade.

“É bom pra modalidade realizar esse tipo de atividade. A gente espera que mais e mais crianças se encantem com o Tênis de Mesa. Minha época profissional já passou, mas é muito gratificante ver que a nova geração está garantida, com o exemplo da Bruna Takahashi (16 anos)”, explicou Hoyama, em entrevista ao Olhar Esportivo.

Por: Olhar Esportivo


Carol Kumahara

Hugo Hoyama em Cuiabá na última sexta-feira (20)