Olhar Esportivo - Doação de tatames nos bairros 23 de Setembro e Pedra 90
Foto:Assessoria Sael MT


 A Secretaria Adjunta de Esporte e Lazer de Mato Grosso (Sael-MT) doou dois tatames, num total de 60 placas de E.V.A. (Espuma Vinílica Acetinada), com 1m² e 40mm de espessura cada placa, para dois projetos sociais. Um desenvolvido pela Fundação Espírita Nova Suíça Rachele Steingruber, no 23 de Setembro, em Várzea Grande, e outro tocado pela Associação Centro América de Karatê Shotokan na Associação Beneditina da Providência, no Pedra 90, em Cuiabá.


De acordo com o diretor da Fundação Espírita Nova Suíça Rachele Steingruber, Douglas Ferreira, a instituição tem como objetivo atender crianças, meninos e meninas em risco de vulnerabilidade social, no contraturno escolar e desenvolver atividades extracurriculares. Segundo ele, são oportunizadas aulas de música (violão e flauta), Yoga, plantio de horta, informática e esporte (futebol e vôlei).

“A Fundação funciona próximo do Posto Zero, em Várzea Grande, que é uma área conhecida por ter prostituição, alcoolismo e tráfico de drogas. Nessa área há prostíbulos e comércio ilegal. O que torna a região um ponto crítico de risco às crianças. Se não estiverem conosco, provavelmente acabem nas mãos da criminalidade. Os tatames serão úteis nas aulas de Yoga”, diz o diretor, Douglas.

A Associação Beneditina, localizada no bairro Pedra 90, em Cuiabá, uma filial da Congregação de Irmãs Beneditinas da Divina Providência, uma congregação de 169 anos e com mais de 200 filiais pelo mundo, atende 120 crianças no Pedra 90, todas meninas entre oito e 16 anos de idade, no contraturno escolar com oficinas de informática, dança, bordado e tricô, educação física e alimentação.

“Somos uma filial com 21 anos. Temos o objetivo de acolher, assistir e educar a infância e a juventude pobre, marginalizada ou colocada em condições de risco, perigo e abandono. A Associação de Karatê veio trabalhar conosco com oficinas de karatê em 2017 e, desde então, percebemos um enorme avanço na qualidade da relação interpessoal entre as meninas”, diz a diretora, Irmã Leotina Vitalino.

Conforme o presidente da Associação de Karatê Shotokan, instituição que tem parceria com a Associação Beneditina, na qual leva arte marcial para as meninas atendidas pelas irmãs beneditinas, José Humberto de Souza, o projeto social não possuía tatame e isso limitava a aplicação da modalidade. Segundo ele, os tatames dão maior segurança para as meninas realizarem todas as práticas.

“O tatame é usado como revestimento do piso para atividades físicas, como esportes que tem impacto no solo, tipo o Karatê e outras artes marciais. Não tínhamos tatame nessa unidade, o que gerava insegurança no momento da queda. Isso limitava nossa prática do Karatê para não termos risco de fraturas ou hematomas. Com o tatame, agora temos segurança para treinar”, diz José.

Para o titular da Secretaria Adjunta de Esporte e Lazer (Sael-MT), Franz Corrêa, que esteve presente nas cerimônias de entrega dos tatames, o trabalho das três instituições, Fundação Nova Suíça, Associação Beneditina e Associação de Karatê, é primordial para retirar as crianças das ruas e dar tranquilidade para os pais trabalharem, pois sabem que os filhos estão seguros e bem cuidados.
 

Por: Redação