Foto:Junior Martins


A 18ª edição da Copa da Juventude de Futsal conta com a participação de 103 times de 52 escolas, públicas e privadas, 1600 estudantes, com idades entre 07 e 14 anos, no masculino e no feminino, e que realizarão 170 partidas. A bola vai rolar por 39 dias nos ginásios e quadras da Universidade Federal de Mato Grosso UFMT, Quilombo, Lixeira, Dom Aquino, Verdinho e Professor Aecim Tocantins.

“O campeonato de futsal escolar é uma ferramenta de produção de uma série de valores, como: trabalho em equipe, respeito às regras, fraternidade, estabilidade emocional, para saber vencer e perder. Nossas crianças ficam distantes de situações de risco quando estão nas quadras”, diz o presidente da Federação Mato-grossense de Futsal (FMFS), Pedro Verão.

A Copa da Juventude de Futsal teve início, com cerimônia de abertura e uma partida entre a Escola Estadual Professor Arnaldo Estevão de Figueiredo, de Jangada, e o Colégio Isaac Newton (CIN), de Cuiabá, no dia 29 de agosto, no ginásio da UFMT, e tem previsão de encerramento para o dia 06 de outubro. E muitos pais comemoram o evento.

“A dificuldade sempre é o dinheiro, mas é um investimento que compensa. Dessa forma consigo saber que meu filho não está na rua envolvido com drogas. Eu sei que no ginásio está sob a supervisão do técnico. Sei que o técnico cuida dele”, avalia Arilcina do Espírito Santo, de 47 anos, profissional de limpeza na escola Arnaldo Estevão e mãe de Adriel Ruhan, de 14 anos, atleta da escola estadual.

O evento tem uma programação extensa de jogos em seis categorias: Masculino e Feminino A (para atletas de 13 e 14 anos), Masculino e Feminino B (11 e 12 anos), Masculino C (9 e 10 anos) e Masculino D (7 e 8 anos). E, nesta segunda (03.09), por exemplo, haverá quatro jogos, entre 18 e 21h, no ginásio do Dom Aquino, e outros quatro, no mesmo horário, nas quadras externas da UFMT.

O pai de um dos estudantes-atletas do Colégio Isaac Newton, o empresário Júlio Cesar Borssari, 47 anos, conta que a maior dificuldade que o filho passa é para conciliar os estudos com o amor pelo futsal. “Ele gosta muito do futsal e o esporte lhe faz bem. O que sempre tentamos fazer é orientá-lo sobre a escola. Para que mantenha os estudos como prioridade”, disse o pai do menino Gabriel, 13 anos.

A Federação Mato-grossense de Futsal (FMFS), instituição responsável pela organização da Copa da Juventude e de outros certames, tem feito várias ações em prol da modalidade, como: organização de campeonatos, apoio à projetos sociais e equipes, investimentos em comunicação, premiações à campeões, captação de recursos, capacitações de árbitros e técnicos e etc.

Um dos maiores patrocinadores do futsal mato-grossense é a Unimed Cuiabá, que é uma operadora de planos de saúde. Foi fundada no dia 20 de outubro de 1975, conta com 1300 médicos cooperados, cerca de mil colaboradores e 220 mil clientes. E tem uma ampla rede credenciada de laboratórios, hospitais e clínicas e presta mais de 200 serviços.

 

Por: Redação