Foto: Lucas Figueiredo/CBF


A noite desta quinta-feira (9) foi especial para os amantes do futebol. No Presidente Vargas, em Fortaleza, as estrelas que protagonizaram a grande final da Copa do Mundo de 1994 entre Brasil e Itália entraram em campo para um reencontro inédito. Após quase 26 anos, os craques vestiram as camisas das Seleções de Lendas e brilharam na partida, que terminou com o placar de 1 a 0 para a Azzurra.

Apesar do resultado diferente do confronto marcante do passado, onde a Canarinho ficou com o tetracampeonato após vencer os adversários nos pênaltis, o jogo desta noite foi histórico. E o clássico foi apenas o primeiro do retorno da Seleção de Masters, uma iniciativa liderada pelo Presidente Rogério Caboclo e pela nova gestão da CBF. O grande objetivo é valorizar a história do futebol brasileiro e os craques que a escreveram. Após este primeiro compromisso com foco no Mundial de 1994, haverá uma maior variedade de gerações vestindo a camisa do Brasil.

O jogo

O reencontro histórico entre Brasil e Itália começou com Cafu avançando pela direita e invertendo o jogo logo no primeiro minuto. Romário ajeitou e passou para Mazinho mostrar seu faro de finalização. O meia chutou de longe e carimbou o travessão, que impediu o golaço. Mostrando o invejável vigor físico de 26 anos atrás, Cafu comandou as ações da Canarinho e, aos dez minutos, cortou para a direita e finalizou entre os marcadores, mas a jogada já estava impedida quando o goleiro Rossi fez a defesa. No lance seguinte, os italianos chegaram com perigo com o cruzamento de Casiraghi, que foi logo cortado por Mauro Silva.

A outra boa chance brasileira saiu aos 14, quando Paulo Sérgio tabelou com Bebeto e finalizou de canhota, mas viu a bola passar por cima do gol. Depois, a Azzurra chegou pela direita com Eranio, mas Taffarel saiu com os pés e afastou o perigo. Aos 19, Mazinho armou a jogada para acionar Romário dentro da área, que ajeitou, puxou para a direita e finalizou à esquerda do gol. O Baixinho também foi acionado por Zinho, aos 37, e chegou a balançar as redes, mas o lance já estava impedido.

Na volta do intervalo, a primeira finalização foi novamente do Brasil, com Mauro Silva avançando e tentando o chute pela direita, mas a bola foi para fora. Depois, aos nove, Bebeto cobrou falta com categoria, mas mandou por cima do gol. Aos 23, Viola lançou Romário, que acionou Jorginho pela esquerda. O lateral cruzou na área, e a zaga italiana acabou marcando contra. No entanto, o gol foi anulado por impedimento. A Azzurra passou a criar mais chances e chegou perto com Zola, que viu Gilmar cair no canto para fazer a defesa antes da bola explodir na trave direita do goleiro brasileiro. Até que, aos 34, a bola sobrou para Massaro marcar o único gol do jogo especial: 1 a 0.

Brasil: Taffarel (Gilmar), Jorginho, Aldair, Márcio Santos (Palhinha) e Cafu; Mauro Silva (Ronaldão), Mazinho (Mauro Galvão) e Zinho (Viola); Paulo Sérgio (Careca), Bebeto e Romário. Técnico: Carlos Alberto Parreira; Auxiliar-técnico: Branco.

Reservas: Gilmar, Ricardo Rocha, Ronaldão, Mauro Galvão, Palhinha, Careca e Viola.

Por: Da Redação com CBF


Lucas Figueiredo / CBF

Lucas Figueiredo / CBF