Foto:Thiago Mattos/Olhar Esportivo


 O Cacerense Esporte Clube entrou com uma ação no Tribunal de Justiça Desportiva de Mato Grosso (TJD-MT) contra o Operário-VG pela escalação irregular do volante Leandro Silva Gomes, mais conhecido como Lê, no clássico contra o Mixto, na primeira rodada do estadual.

O time de Cáceres pede a perda de seis pontos do tricolor várzea-grandense, o que rebaixaria o CEOV no lugar do próprio Cacerense.

A denúncia da Fera da Fronteira se baseia na expulsão que Lê teve no banco de reservas no segundo jogo da final do Mato-grossense 2016, entre Sinop e Luverdense, no dia 8 de maio do ano passado. Lê foi expulso do banco de reservas.

“Nossa denúncia não afeta o andamento do campeonato como o imbróglio de União e Dom Bosco, interfere somente no rebaixamento. Sabemos que o Cacerense não tem força política igual outros clubes. Enfim, o julgamento deve acontecer na terça-feira, dia 11 de abril”, resumiu o presidente da Fera da Fronteira, Paulo Leite.

Mesmo expulso na finalíssima, Lê foi condenado pelo TJD-MT a uma partida de suspensão, em documento assinado no dia 10 de junho do ano passado.

Diferença

A principal diferença do caso de Lê, para as denúncias apresentadas pelo Dom Bosco, é que o volante (que hoje está no União), sequer entrou em campo contra o Mixto no dia 29 de janeiro. O Cacerense protocolou a denúncia junto à FMF apenas por Lê ter sido relacionado.

Para dar prosseguimento ao Campeonato da forma mais rápida possível, o TJD-MT irá julgar o ‘caso União’ na próxima terça-feira (4). A semifinal entre União e Sinop, prevista para esse domingo (2), foi suspensa pela FMF.

Por: Thiago Mattos


Volante Lê relacionado na partida contra o Mixto na primeira rodada

Lê punido pelo TJD