Foto: AssCom Dourado


A Confederação Brasileira de Futebol contratou o Hospital Israelita Albert Einstein para a realização da testagem de Covid-19 para o retorno das competições nacionais. O objetivo é garantir padronização e alto grau de confiabilidade aos testes realizados, que serão integralmente custeados pela CBF.

Inicialmente, o acordo abrange as Séries A, B, C e D do Campeonato Brasileiro, a Copa do Brasil, os Campeonatos Brasileiros Femininos A1 e A2, o Brasileirão Sub-20 e a Copa do Nordeste. O método de diagnósticos para a detecção será o molecular (RT-PCR) e o objetivo é realizar a testagem total nas equipes antes de cada rodada das competições.

O protocolo prevê que os jogadores farão o exame três dias antes e terão o resultado na véspera da partida. A partir daí, a CBF recomendará aos departamentos médicos dos clubes o afastamento imediato daqueles que tiverem a presença do vírus constatada no organismo. Os procedimentos acompanham a constante evolução das pesquisas científicas, que resulta na disponibilização de testes em escala.

“Vamos retomar o futebol de forma segura. Oferecer um ambiente de proteção e confiança nos protocolos é o nosso compromisso com os protagonistas do futebol. Confiamos plenamente na excelência do Einstein para realização desse trabalho fundamental de testagem”, destaca o presidente da CBF, Rogério Caboclo.

“Com este projeto conjunto com a CBF, o Einstein tem a oportunidade de colaborar com a retomada das competições nacionais. De nossa parte, serão fornecidos testes moleculares do padrão ouro para o diagnóstico da Covid-19”, garante Sidney Klajner, presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein.

Além de jogadores e técnicos, também está prevista a testagem para os árbitros e assistentes.

“Nosso compromisso é que todos que entrem em campo tenham tranquilidade para realizar seu trabalho. Vamos utilizar a metodologia mais confiável nos testes e também investir muito na orientação para que todos os envolvidos no jogo adotem os cuidados necessários à saúde coletiva”, afirma Jorge Pagura, Presidente da Comissão Médica e de Combate à Dopagem da CBF e coordenador do “Guia Médico para o retorno das atividades do futebol brasileiro”, aprovado pelo Ministério da Saúde e distribuído pela CBF às Federações Estaduais e Clubes.

Em Mato Grosso, estão credenciados para as competições nacionais mencionadas acima: Cuiabá na Série B e na Copa do Brasil; Operário-VG, União e Luverdense na Série D; União na Copa do Brasil sub-20; Operário Ltda no Brasileiro Feminino A2.

Por: Pedro Lima / da Redação