Foto:Olímpio Vasconcelos (Mixto x CEOV em 2016)


 Mixto e Operário-VG se enfrentam neste domingo (26), às 17h, na Arena Pantanal, em partida que vale apenas a rivalidade de 59 anos entre os dois clubes mais vitoriosos do Campeonato Mato-grossense. São 24 estaduais do Mixto e 14 dos Operários*.

Com ambos sem chance de avançar para as semifinais, o Tricolor joga por um empate para terminar o estadual na frente do rival Alvinegro, mantendo a terceira posição no Grupo A. No primeiro turno, os times fizeram um jogo ‘de tirar o fôlego’, com vitória operariana por 3 a 2 e muita reclamação contra a arbitragem pelo lado mixtense.

Enquanto ambos ainda não conseguiram atingir um nível que o futebol profissional exige no século XXI, Mixto e Operário são ofuscados pelas forças emergentes, Cuiabá e Luverdense, nesta década. Os times de maior torcida da baixada cuiabana somaram apenas 12 pontos na competição (sete do CEOV e cinco do Tigre).

Histórico

Ao longo desta semana, o portal mixtonet divulgou a estatística completa do Clássico dos Milhões, compilada pelo pesquisador Sérgio Santos. Os números mostram uma pequena vantagem do Mixto desde 1958. O jogo de estreia aconteceu em 16 de agosto daquele ano, com goleada mixtense por 7 a 2.

Em 241 jogos, o Tigre venceu 90 e perdeu 80, com 64 empates. Sérgio Santos ainda esclarece que sete partidas constam nos registros jornalísticos do acervo público como realizadas, mas não foram localizadas as súmulas para confirmar o resultado.

Caso contabilizados os duelos do Mixto contra o Operário F.C (clube que existe hoje, concomitante ao CEOV) e E.C Operário, a diferença de vitórias é ainda mais estreita. O histórico passa a ter 279 jogos, 100 vitórias mixtenses e 94 operarianas, além de 78 empates.

Em quase 700 gols marcados até aqui, o Tigre vence por apenas 18 tentos. Um total de 355 gols mixtenses contra 337 gols operarianos (CEOV + Operário FC + E.C Operário).

*Entre 1995 e 2012, o Clube Esportivo Operário Várzea-Grandense esteve fora dos gramados, dando lugar inicialmente ao Esporte Clube Operário, que conquistou o estadual de 97. Em 2002, o CEOV teve uma breve reaparição, conquistando o título daquele ano.

Em maio de 2002, o CEOV virou o Operário Futebol Clube Ltda, que ganhou mais um estadual, em 2006. Esses times mantiveram torcedores do antigo CEOV a seu lado, mas quando o ‘autêntico’ voltou em 2013, o empresário Sebastião Viana, proprietário do Operário FC, não quis se juntar. Então ficaram os dois Operários que já jogam simultaneamente a quatro anos, com o CEOV escolhido pelos torcedores. 

Por: Thiago Mattos