Foto: João Freitas


O torcedor que compareceu à Arena Pantanal na noite desta segunda-feira (25 de setembro), para acompanhar a partida entre Poconé e Mixto pela Copa Federação Mato-grossense de Futebol (FMF), teve uma surpresa nada agradável. Ao invés de gols, dribles e duelos táticos, as movimentações em campo ficaram por conta de dirigentes, membros da comissão técnica e jogadores do Tigre.

A equipe poconeana não conseguiu regularizar nenhum jogador no Boletim Informativo Diário (BID) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e não foi a campo. Dessa forma, o árbitro seguiu o protocolo de aguardar 30 minutos para declarar o alvinegro como vencedor do jogo.

De acordo o delegado do jogo, Laurentino Milhomens, o clube do interior alegou falta de tempo para legalizar a situação burocrática de seus atletas. “A diretoria do Poconé nos informou que não houve tempo hábil para a inscrição dos jogadores. Porém, vamos seguir as orientações do regulamento: entrar com um time em campo, aguardar o tempo regimental e depois dar o W.O. para o Mixto Esporte Clube”. 

O técnico Toninho Pesso lamentou o incidente, projetou a partida conta o Operário, marcado para o dia 2 de outubro, e convocou a torcida para o duelo. “Obviamente ficamos frustrados, pois nos preparamos para o jogo de hoje. Mas vamos ter um tempo a mais para focar no clássico, que será um grande espetáculo. E por isso, pedimos a presença dos torcedores mixtenses e operarianos, em clima de paz, para resgatarmos a cultura de ir para o estádio”.

 

Por: João Freitas