Foto:Kelson Abrão


O maior torneio de categoria de base do Brasil, a Copa São Paulo de Futebol Júnior, começa hoje (02/01) e Mato Grosso tem dois representantes: Luverdense e União. E eles têm um desafio histórico pela frente: passar da primeira fase e avançar para o “mata-mata” da competição.

O Luverdense começará sua caminhada antes. O Verdão do Norte está no grupo 27, sediado em Taubaté-SP e terá uma difícil estreia, hoje, às 20:30 (horário de Mato Grosso) contra o Palmeiras. Taubaté e Moto Clube também estão no mesmo grupo.

Já o União está no grupo 14, sediado em Porto Feliz-SP e entra em campo amanhã (03/02), às 13:00 (horário de Mato Grosso), para enfrentar os donos da casa, Desportivo Brasil, no primeiro jogo. Londrina e Paysandu completam o grupo.

Os dois primeiros colocados de cada chave se garantem na próxima fase, onde os duelos passarão a ser no sistema “mata-mata”.

União e Luverdense garantiram a participação por serem finalistas do campeonato mato-grossense sub 19. Na ocasião o Colorado ficou com o título e o Verdão do Norte foi vice-campeão.

A reportagem do Olhar Esportivo conversou com os técnicos dos dois times do estado na competição. Edílson pelo lado do União e Vander do Luverdense:

Confira a entrevista:

OE – Como foi a preparação das equipes?

 Edílson: Foi intensa, como havíamos planejado. Os garotos cumpriram muito bem durante esses 45 dias de treinamento. Fizemos quatro amistosos e graças a Deus vencemos todos. Gostei muito da evolução da equipe.

Vander: Se iniciou no começo de dezembro com a parte física se intercalando com a parte técnica e tática minha e do professor Odil Soares, enquanto ele estava conosco. Graças a Deus conseguimos evoluir, o que era nosso objetivo. Mesclamos o time sub 17 que foi campeão estadual com o sub 19 que foi vice-campeão.

OE – Qual objetivo da equipe na competição?

Edílson: Nosso primeiro objetivo é classificar e fazer história já que o União nunca passou da primeira fase. E depois no “mata-mata” é pensar jogo a jogo.

Vander: Vamos trabalhar por etapas, jogo a jogo. O termômetro do nosso futuro vai ser o dia a dia.

OE – Como preparar os garotos psicologicamente para a competição?

Edílson: Estamos conversando com os garotos para tentar tirar um pouco desse nervosismo, para que não possa atrapalhar. Mas estamos preparados. O primeiro jogo é muito importante para fazer uma grande primeira fase e consequentemente conseguir a classificação.

Vander: A maior dificuldade na base é o psicológico. Caímos numa chave difícil, mas não é impossível. Estamos trabalhando bastante a cabeça dos meninos, a parte psicológica até porque logo na estreia pegamos um time grande que ganhou vários campeonatos em 2017 (Palmeiras). Então estamos conversando bastante para que os meninos possam ficar tranquilos.

OE – Faça uma análise dos adversários da primeira fase.

Edílson: O Desportivo Brasil é uma equipe muito qualificada, tem um alto investimento, inclusive do Shandong Luneng da China. O Londrina se transformou numa potência em divisões de base no Brasil, não à toa estão na segunda divisão do campeonato brasileiro. O Paysandu é a tradição. Eles não têm o mesmo investimento das outras equipes, mas a camisa acaba pesando.

Vander: Os nossos adversários são difíceis. Palmeiras e Taubaté tem muita quilometragem de jogos durante o ano. O Moto Clube não tem tanto, mas temos que abrir o olho contra eles. Trabalhamos dentro das condições que temos, analisando, estudando os adversários e esperamos jogar no erro deles e tentar conseguir um bom resultado.

 

Por: Mateus Garcia


Edílson Júnior, técnico do União sub 20. Foto: Kelson Abrão

Vander, técnico sub do Luverdense. Foto: Divulgação Luverdense