Foto: Lateral-esquerdo Athirson em treinamento pelo Cuiabá - AssCom Dourado


O Cuiabá assinou o 1º contrato profissional com o lateral-esquerdo Athirson, de 18 anos, nascido no bairro Dom Aquino. O atleta já havia sido relacionado no Campeonato Mato-grossense deste ano, mas agora foi novamente regularizado para compor o elenco que se prepara para a Série B 2020.

A reportagem do Olhar Esportivo apurou, que curiosamente, o mais novo jogador profissional do Cuiabá tem o nome em homenagem a um dos ídolos do seu pai Marcioney Garcia, o também lateral-esquerdo Athirson Oliveira, atualmente com 43 anos, revelado e profissionalizado pelo Flamengo, se tornando um dos principais jogadores do time no final da década de 90 e começo dos anos 2000.

“Eu sou muito flamenguista e gostava muito do futebol do Athirson, aí coloquei no meu filho. Falava para ele que ele tinha que ser flamenguista, mas como eu trabalhava muito e ele ficava na casa da tia, ele acabou torcendo para outro time, mas o nome ficou e agora ele é Cuiabá. Ele gosta muito do nome, até então foi jogar na base do Fluminense, o pessoal ficou meio assim, se chamava ele por Athirson, ou por Garcia, que é o sobrenome, mas aí ficou como Athirson mesmo, e essa homenagem foi por causa do ex-jogador”, disse o alinhador mecânico Marcinho, pai do atleta do Cuiabá, ao Olhar Esportivo.

Athirson Garcia da Silva, do Cuiabá, começou na escolinha do Brasil Central. Canhoto, ele também jogava no meio-campo, mas já tinha uma queda pela ala esquerda. Após o acontecimento da Copa do Mundo de 2014 no Brasil, ele foi para o Fluminense, onde ficou até 2015. Passou também por Bandeirante-SP e Penapolense-SP, até chegar ao Dourado.

“Levava ele para jogar, ele já gostava muito dessa posição. Chegou a jogar no meio-campo, mas preferiu a lateral esquerda. Estou muito agradecido, mas o esforço e mérito é todo dele, um guri muito bom, responsável nesse trabalho dele. É muito esforçado, admiro muito ele por ele correr atrás, é merecido”, afirmou o pai, de 39 anos.

Ainda segundo Marcinho, nascido e criado no Dom Aquino, ele nunca teve oportunidade de sair de Cuiabá e tem o sonho de conhecer o Maracanã, além do ex-jogador Athirson, que também teve passagens por Juventus-ITA, Cruzeiro-MG, Bayern Leverkusen-ALE, Botafogo-RJ, Brasiliense-DF e Portuguesa-SP. O ex-jogador jogou pela Seleção Brasileira e conquistou o título do torneio pré-olímpico de Sydney 2000, ao lado de nomes como Ronaldinho Gaúcho e Alex. Hoje em dia é comentarista e técnico de futebol.

Segundo a diretoria do Cuiabá, foi apenas o primeiro contrato profissional com o jovem, mas que em breve deve ser prorrogado, para poder utilizá-lo ou emprestá-lo para ganhar rodagem.

Por: Pedro Lima / da Redação


Athirson treina com o elenco profissional do Dourado desde o Mato-grossense 2020 - Arquivo

Marcinho, pai de Athirson, é flamenguista "roxo" e agora também torcedor do Cuiabá - Arquivo Pessoal

Lateral-esquerdo Athirson, ex-jogador do Flamengo - Arquivo/Flamengo

Athirson pela Seleção Brasileira no pré-olímpico de 2000 - Arquivo Terceiro Tempo