Foto: COB


O judoca mato-grossense David Moura, representante da seleção brasileira nas competições internacionais, foi para Lima, capital do Peru, com a missão de buscar a medalha de ouro e o bicampeonato dos Jogos Pan-Americanos, já que foi campeão em 2015, em Toronto, no Canadá.

O lugar mais alto do pódio não aconteceu, mas o cuiabano conquistou a medalha de bronze, voltando de cabeça erguida para o Brasil e focado no Mundial de Tóquio, que será daqui duas semanas, valendo pontos no ciclo olímpico.

“Fiz uma luta dura contra o cubano. Agora é arrumar os detalhes. Tenho duas semanas para lutar o Mundial, bola para frente e vamos pra cima. Vim buscar o ouro. Logo que perdi, fiquei triste, mas digeri e entendi que o bronze é importante também”, disse David Moura após os Jogos Pan-Americanos em Lima.

David iniciou a disputa na manhã deste domingo(11), vencendo o chileno Francisco Solis, por Ippon. Na semifinal, já nos scores e com ambos atletas desgastados, o brasileiro tentou a definição e sofreu o mesmo golpe, perdendo para o cubano Andy Granda, que acabou ficando com o ouro, ao vencer o venezuelano Pedro Pineda, na decisão.

Mesmo chateado com a derrota, David Moura, que teve a presença especial do seu filho João Moura de um ano e 10 meses no ginásio em pleno dia dos pais, buscou fôlego e venceu o norte-americano Ajax Tadehara, garantindo o bronze para o Brasil.

Atualmente, David Moura é o terceiro colocado no Ranking Mundial de Judô, com 4.332 pontos. Ele também acumula 1.557 na pontuação olímpica e briga por uma inédita vaga na Olímpiadas de Tóquio 2020.

A partir desta semana, ele retoma a preparação para o Mundial de Tóquio, que inicia no dia 25 de agosto e vai até dia 1º de setembro, sendo evento-teste para os Jogos Olímpicos de 2020.

Com 31 anos, o judoca está na seleção brasileira há mais de 10 anos, é campeão dos jogos pan-americanos de Toronto, vice-campeão mundial, coleciona diversos títulos internacionais. É atleta e embaixador do Instituto Reação, patrocinado pela Unimed Cuiabá, BV financeira e Oncomed Mato Grosso.

Por: Pedro Lima / da Redação