Foto:Gabriela de Lima/Olhar Esportivo


No decorrer do Campeonato Mato-Grossense 2017, o Operário Várzea-grandense sofreu algumas alterações, desde a troca de treinador até o desfalque de jogadores. Agora, quem comanda o time para os dois últimos jogos é o preparador de goleiros Júlio César Pacu. Em entrevista ao Olhar Esportivo, ele revelou que pretende encerrar o campeonato passando uma boa imagem para o público.

“Não só eu como os jogadores esperamos passar uma imagem positiva pra todos e fazer uma boa apresentação, conseguir um resultado positivo. Isso vai nos dar mais força.”

Entre os jogadores que deixaram o clube ao longo do campeonato estão os destaques Bogé, Fabinho, Geilson e Capixaba, deixando o CEOV com atletas novos da Baixada Cuiabana que enxergam nessas duas últimas rodadas, a chance de se firmar no futebol.

“São jogadores novos que estão pretendendo alguma coisa lá na frente, procurando se estabelecer e que estavam precisando de uma oportunidade, que apareceu em um momento ruim, já não tem mais objetivo a ser alcançado, não tem classificação e nem luta pelo título. Então a nossa motivação tem que ser maior ainda para buscar a oportunidade que todos queremos”, comentou ele.

Com uma vasta experiência no mundo do esporte, tendo passado antes na posição de treinador por outros clubes, como Rio Claro, Mixto e Boa Esporte, além de ter atuado como goleiro e preparador de goleiro. Júlio admite que apesar de toda essa bagagem, ele também espera poder passar uma imagem positiva.

“Minha experiência ajuda na forma de comunicar com os jogadores nessa fase complicada do time. É uma oportunidade que eu tenho para demonstrar todos os meus conhecimentos diante do futebol, e ajudar na pretensão que eu tenho, de lá na frente, poder ser um técnico”, admitiu ele.

A permanência do treinador interino no CEOV após o estadual ainda não foi discutida. Depois do Mato-Grossense, o clube fica sem calendário, movimentando apenas as equipes sub-21 e sub-19, mas nada foi acertado a respeito disso ainda.

O próximo desafio do Tricolor é contra o Luverdense, na noite desta quarta-feira, na Arena Panatal. Para essa partida, que o técnico definiu como “uma briga de Davi e Golias”, o fundamental é manter a tranquilidade e o equilíbrio.

“A expetativa é a maior possível, de fazer uma boa apresentação contra o Luverdense, uma equipe que está em um patamar bem superior a nós, então a motivação tem que ser muito grande. Para enfrentar uma equipe qualificada como o essa, tem que ter um equilíbrio e uma tranquilidade muito grande, para que a gente possa surpreendê-la.”, finalizou ele.

Por: Gabriela De Lima