Foto: Junior Martins / Assessoria


Quem não quer a vaga para a Copa do Brasil? Competição mais democrática e milionária do futebol brasileiro. O mínimo que um clube ganha só para participar são R$ 525 mil, na pior das hipóteses, sendo do terceiro pote na primeira fase. Uma quantia boa para o poder econômico de uma equipe, principalmente em Mato Grosso, onde a maioria dos clubes tem orçamentos baixos com dificuldade financeira.

Em 2019, Mato Grosso teve três vagas na competição nacional. Porém, para 2020, o estado ficou recheado com mais uma vaga, pela conquista do título do Cuiabá na Copa Verde, garantindo o Dourado diretamente nas oitavas de final da Copa do Brasil. O Cuiabá já havia conquistado a vaga, por ter sido campeão mato-grossense, sendo assim, a quarta vaga do estado será indicada pela Federação Mato-grossense de Futebol e deve acontecer através da classificação geral do Estadual. 

O União Esporte Clube é o provável beneficiado, já que foi o terceiro colocado do Campeonato Mato-grossense. No artigo 17 do regulamento da competição regional, consta que haveria confronto para definição de 3º e 4º colocado, porém, no segundo parágrafo do mesmo artigo, só aconteceria caso houvesse uma disputa pela vaga na Série D do Brasileiro. Como o Luverdense foi eliminado na semifinal e já tinha a vaga na Série C, não foi necessário o confronto contra o União, que foi consolidado pela FMF o terceiro colocado geral pela pontuação de todas as fases, logo após o término do campeonato. Com isso, o time de Rondonópolis ganharia a segunda vaga do certame.

De acordo com o Diretor de Competições da FMF, Diogo Carvalho, a indicação ocorrerá no máximo até a próxima segunda-feira (25).

“Estamos em contato com a CBF, acredito que no mais tardar segunda-feira será definido. Temos direcionado com eles essa conversa para que o entendimento não fique único, que seja em conjunto. Deve ser o União, mas ainda não posso cravar porque estamos no aguardo. Esperamos resolver o mais rápido possível”, disse.

Sobre a disputa do terceiro e quarto colocado do Campeonato Mato-grossense, que não ocorreu, Diogo completou. “Não teve disputa de terceiro e quarto porque o próprio regulamento previa isso. No artigo 17, tem lá, no item número dois, que só aconteceria caso tivesse valendo uma vaga para a Série D do Brasileiro. Quem estava na disputa era o Luverdense, que já tinha vaga na Série C, e União, que ficou com a vaga na Série D. Então não foi feita por causa disso, porque não tinha validade pelo regulamento e pelo que foi acordado com os times no arbitral. Não é uma coisa que a Federação determina, os clubes concordaram com isso no arbitral, isso foi transcrito pela Federação no regulamento”.

REIVINDICAÇÃO DO MIXTO

Representantes do Mixto se reuniram com o presidente da FMF, Aron Dresch, na tarde desta quinta-feira (21), para debater sobre a indicação para a Copa do Brasil 2020. Os mixtenses reivindicam a vaga através da Copa FMF, pois o Tigre foi eliminado na semifinal da competição pelo campeão Luverdense, sendo terceiro colocado geral, com a campanha na segunda fase.

Segundo o presidente do conselho deliberativo do Mixto, o Vereador Sargento Joelson, o caso é omisso no regulamento diante da abertura de mais uma vaga para o estado, que foi o que aconteceu com a conquista do Cuiabá na Copa Verde.

“Na realidade fomos na Federação e o entendimento deles é que vão cumprir indicando o União, segundo eles, independente se a um erro ou não no regulamento, em abril, quando acabou o campeonato, eles publicaram uma classificação com o União em terceiro lugar e nenhuma das 10 equipes abriu contestação. O que aconteceu foi um caso omisso no regulamento, com isso a federação que decide. Talvez pelo erro haja alguma jurisprudência”, disse.

 

Por: Pedro Lima / da Redação


Artigo 17 do regulamento do Campeonato Mato-grossense 2019

Preenchimento das vagas de acordo com o regulamento da Copa do Brasil