Foto: Junior Martins / Assessoria


Foi durante a quarentena que tudo começou. Com os atletas em casa e cada time tendo que elaborar estratégias para motivar e manter a equipe com a cabeça no jogo, os campeonatos virtuais foram mesmo uma novidade muito bem-vinda.

Organizados na maioria das vezes no Instagram, eles colocam os times de futebol americano em disputa entre si, incentivando as torcidas a comentarem em busca de pontos para o escudo que protegem, podendo no final conquistar um prêmio, muitas vezes, bastante interessante para as equipes.

O pioneiro nessa disputa é o Felipe Pereira, diretor de Relações Internacionais da CBFA. Em conversa com a nossa equipe, ele contou que já está envolvido com o futebol americano brasileiro há cinco anos e seu perfil no Instagram, com quase 80 mil seguidores, reflete em um público majoritariamente composto por atletas, diretorias e curiosos.

“Como estamos sem jogos, eu estava pensando em uma maneira que pudesse ativar o espírito competitivo das pessoas, aí logo pensei nisso dos campeonatos virtuais. Reuni 64 times e quem comentasse mais, ia passando de fases. No começo era só uma brincadeira, pra deixar o pessoal interagindo e se divertido, e na medida que foi crescendo,  o pessoal começou a ver que eu tava fazendo e começou a querer fazer parte, até que surgiu a oportunidade de alguém patrocinar”, contou.

O Cuiabá Arsenal, deste primeiro campeonato chegou logo nas finais. Envolvendo todo o time em postagens nas suas próprias redes sociais, e também engajando internamente os atletas, o time disputou contra o Recife Apaches um bônus de R$750,00 para ser usado em uma loja de equipamentos. Com mais de dois mil votos, o Arsenal ficou com a vice-liderança do primeiro campeonato de comentários. 

Mesmo sem a vitória, na diretoria foi perceptível como o engajamento com os atletas e público cresceu durante essa fase, fato que, motivou o time ainda mais a ir em outros campeonatos que seguem acontecendo atualmente. Entre eles, está o que foi organizado pela própria Liga BFA, que além de reunir as setenta e cinco equipes inscritas nos módulos do campeonato, gerou um encontro que em outros tempos não aconteceria. Elite, segunda divisão, feminino e todas as conferências foram mesclados e tiveram seus embates definidos por um sorteio.

Para Lucas Midaglia, Diretor Esportivo da Liga BFA, o resultado foi muito positivo. Permitiu um grande entretenimento ao público que inclusive, abre debates internos sobre mais uma edição. Nesta primeira, o Cuiabá Arsenal chegou às semifinais contra o Carrancas FA, que prosseguiu na disputa.

“Tivemos nove mil votos em nossa final, isso é muita coisa! O resultado foi muito positivo. Tivemos um aumento do número de seguidores orgânicos na página, mesmo sem ter prêmios, e pudemos ver um grande engajamento dos times para conquistar o título”, contou Lucas em entrevista.

Felipe Pereira também comentou sobre isso:

“Às vezes eu pensava que alguns times que são maiores, iriam se sobressair mais, por causa do nome, mas não necessariamente, porque não estão engajados com o público nas redes sociais e então vemos a importância disso, da comunicação. Times que nem disputam a liga foram até as semifinais, porque são engajados com o público. É importante estar sempre ativando o público nas redes sociais”, afirmou.

O legal é ver que o movimento #FICAEMCASA se torna ainda mais fácil com esses projetos, afinal, até mesmo quem é apenas torcedor pode participar dessa votação e ajudar o time do coração a levar o título para casa.

Por: Da Redação com assessoria