Foto:Assessoria Dom Bosco.


O Dom Bosco anunciou através de suas redes sociais a contratação do atacante Geílson. Nome conhecido no futebol mato-grossense, o jogador de 33 anos tem passagens por grandes times do país como Internacional, Santos, Atlético-PR, Santa Cruz, entre outros, além de passagens pelo futebol japonês e do mundo árabe. No estado atuou pelo Mixto, CEOV, Cuiabá e União.

Nos últimos anos ele conviveu com lesões e não conseguiu se firmar. Em 2015 e 2016 teve passagem apagada no Cuiabá. Em 2017 disputou a série D pelo União, mas também não conseguiu jogar, sendo ofuscado pelo jovem atacante Ricardo.

O último grande momento de Geílson foi com a camisa do Operário várzea-grandense quando comandou o ataque na campanha que levou o chicote as oitavas de final da série D de 2014 e a final do campeonato mato-grossense de 2015.

Experiência e tática

O Dom Bosco se destacou nos últimos anos por trabalhar com jogadores jovens, oriundos da região da baixada cuiabana. Geílson pode ser uma referência de experiência e de sucesso profissional para esses atletas. Taticamente ele também pode ter um papel importante. O técnico Giani Freitas gosta de armar seu sistema ofensivo com jogadores rápidos e abertos pelas pontas (foi assim com Michel e Heltinho no estadual e depois com Michel e Deivisson na Copa FMF) e com meias chegando detrás, criando oportunidades para um atacante centralizado. Porém o time não conseguiu encontrar o nome ideal para essa posição durante o ano de 2017. Thiago Vinícius ainda não se firmou como o grande jogador que despontou anos atrás, foi liberado e disputará o estadual pelo Ação. Bruno Mota não caiu nas graças do treinador e Paulinho Mingau chegou no meio do campeonato mato-grossense, se destacou marcando muitos gols, porém a comissão técnica mão acredita que ele seria o camisa 9 para uma temporada com Copa do Brasil e série D.

Além disso, a diretoria do clube acredita que Geílson está mais focado, mais a fim do que em anos anteriores (ele postou fotos de treinamentos físicos nas redes sociais e estaria com fisioterapeuta, personal trainer, por conta própria). Outra aposta da diretoria é a de dar sequência para ele, dando um papel importante no elenco.

Palavra do Geílson        

Em contato com a reportagem do Olhar Esportivo, Geílson explicou porque aceitou fechar com o Azulão da Colina Iluminada:

- Eu aceitei o convite do Dom Bosco porque é um bom projeto. Ter um calendário anual, poder jogar a Copa do Brasil, série D... isso é muito bom pra mim. E eu estou em casa, perto da família, das pessoas que amo e as condições que o Dom Bosco me ofereceu são as melhores, então não tinha porque eu não aceitar. Acredito que vai ser um ano bom, é um clube que já vem há dois anos surpreendo muita gente e agora com um pouco mais de experiência poderá chegar mais longe e conquistar títulos, que é o objetivo, para que volte a ser respeitado no estado como sempre foi.

 

Por: Mateus Garcia


Assessoria Dom Bosco.

Assessoria Dom Bosco.

Assessoria Dom Bosco.