Foto: Luiz Carlos Beleza ao lado da saudosa Nhá Barbina, torcedora símbolo do Mixto - Crédito: Secom MT


Uma perda irreparável para a baixada cuiabana e para o futebol brasileiro. Após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC) na última semana, faleceu nesta terça-feira, aos 69 anos, o ex-jogador Luiz Carlos Beleza, símbolo e figura ícone do futebol mato-grossense.

O ex-lateral-direito tem boas histórias. Luiz Carlos foi companheiro do Rei Pelé, quando chegou ao Santos na década de 70. Inclusive, Edson Arantes do Nascimento que o-apelidou de Beleza.  

Carioca de nascimento e cuiabano de coração, Beleza começou a carreira em 1969, nos juvenis do Botafogo, que tinha o técnico Zagallo. O primeiro time profissional dele foi a Caldense, em 1972. Posteriormente foi emprestado para o América Mineiro, onde se tornou destaque.

Depois do Santos, ele passou por Juventus-SP e Rio Branco-ES, até chegar ao Mixto, onde se tornou ídolo. Beleza teve grande identificação com a torcida e com o clube, acumulando conquistas como o tetracampeonato mato-grossense. Eternamente torcerá e será lembrado pelo Alvinegro da Vargas.

Em Mato Grosso, Luiz Carlos Beleza também jogou por União, Operário e Dom Bosco.

“Jogou aonde” era um dos seus principais jargões nas entrevistas e bate-papos do cotidiano, afinal, ele jogou com o Pelé, não é mesmo? Descanse em paz!

Atualmente, Luiz Carlos Beleza era aposentado como Oficial de Justiça e passava seus conhecimentos da vida do futebol para as crianças e jovens de projetos sociais na capital.

Por: Pedro Lima / Da Redação


Luiz Carlos Beleza - primeiro em pé da direita para esquerda), pelo Santos na década 70 - Crédito: Arquivo Pessoal

Beleza ao lado do Rei Pelé - Arquivo Pessoal