Foto:Em 2015, o Cuiabá foi eliminado pelo Vasco na segunda fase, com dois empates, 1 a 1 na Arena e 0 a 0 em São Januário. (Foto: Cezar Loureiro / Agência O Globo)


O Cuiabá Esporte Clube faz nesta quarta-feira(13), à partir das 20h30 (horário de Mato Grosso), a sua estreia na Copa do Brasil 2019, disputa que traz o jogo mais importante do clube até o momento na temporada, pois vale mais R$625 mil aos cofres, além da visibilidade atraída a cada passagem de fase nesta competição.

Invicto no ano e na liderança do Estadual ao lado do Operário Várzea-grandense – CEOV, o Cuiabá tem a missão de arrancar no mínimo um empate fora de casa, contra o Ypiranga do Amapá, no estádio Zerão, em Macapá, por jogar como visitante e ser melhor ranqueado pela Confederação Brasileira de Futebol – CBF.

Mesmo com apenas 17 anos de fundação, o Cuiabá é o time mato-grossense com mais participações na Copa do Brasil, chegando à sua décima na competição nacional. A equipe disputou em 2004, 2005, 2011, 2012, 2014, 2015, 2016, 2017 e 2018. As melhores campanhas foram nas duas últimas participações, onde chegou na terceira fase.

Um feito histórico foi em 2017, quando o Cuiabá eliminou a Ponte Preta(SP) em jogo único pela segunda fase, em pleno estádio Moisés Lucarelli, na decisão por pênaltis. O técnico na ocasião era Roberto Fonseca, atualmente no Novo Horizontino.

No ano passado, já no comando de Itamar Schulle, a equipe eliminou o Aimoré(RS) fora de casa na estreia, venceu a Aparecidense(GO) por 3 a 1 em casa e foi eliminado pelo Náutico(PE), com duas derrotas nos jogos de ida e volta, 2 a 1 na Arena Pernambuco e 1 a 0 na Arena Pantanal.

A equipe que passar desta fase entre Ypiranga(AP) e Cuiabá enfrenta Campinense(PB) ou Botafogo(RJ) na segunda fase, também em jogo único, que será na Paraíba ou no Rio de Janeiro. Na segunda fase não tem vantagem para o visitante, o empate leva a decisão para os pênaltis.

Por: Da redação Olhar Esportivo


No ano passado, o Dourado foi eliminado pelo Náutico na terceira fase

Em 2017, o Dourado bateu a Ponte Preta na segunda fase.