Foto: Alexandre Vidal/Flamengo


Novo xodó da Nação Rubro-negra, o atacante Michael foi o convidado do ‘Papo Virtual’, realizado ao vivo na FlaTV nesta quarta-feira (03). Numa resenha bastante descontraída, o jogador rubro-negro destacou seu amor pelo futebol, a paixão da torcida pelo clube, sua relação com o técnico Jorge Jesus e outros assuntos.

Natural de Poxoréu, em Mato Grosso, Michael está com 23 anos e chegou ao Flamengo para a atual temporada. Ele chamou atenção em 2017 quanto atuava pelo Goianésia-GO, sendo adquirido pelo Goiás, por onde permaneceu em três temporadas, com 129 jogos e 24 gols marcados, entre Campeonato Goiano, Série B, Série A, Copa do Brasil e Copa Verde.

Pelo Flamengo, até o momento, o atacante mato-grossense fez 11 jogos e marcou dois gols. Michael tem como principais características: velocidade e dribles.

Confira trechos do bate-papo:

Amor pelo futebol

“Existe uma grande diferença entre gostar e amar jogar futebol. Quando gosta, você joga depois do trabalho, nos finais de semana. Mas quando você ama é diferente. Desde que eu jogava no ‘terrão’ fazia de lá a minha profissão. Nessa época, eu já amava jogar futebol e falava para todo mundo que um dia iria depender desse esporte para me sustentar. Gosto muito de estar em campo, ter aquela sensação de ver o estádio lotado”.

Relação com Gabigol

“O Gabigol é uma pessoa do bem, com um coração bom e é um atleta que trabalha muito. Sempre que estou no banco, procuro olhar pra ele, Bruno Henrique, Arrasca e Everton Ribeiro. Os dois gols que eu marquei, quem deu a assistência foi o Gabriel e todos vieram me abraçar. Cheguei no Fla muito tímido, mas logo me soltei, porque eles me deram muita confiança e apoio”.

Primeiro contato com o Mister

“Quando cheguei pela primeira vez para conversar com ele, eu não entendi quase nada do que ele falava (risos). Ele me passou algumas ideias e me fez umas perguntas sobre o que eu sabia fazer em campo. Então, o Mister foi me passando outras orientações e fiquei muito feliz por ele ter me explicado e falado sobre o jeito que gosta de ver o time jogar. Nas partidas, procuro fazer tudo aquilo que ele me orienta”.

Significado de Flamengo para a torcida

“Assistindo pela televisão, eu não tinha noção de que esse sentimento era tão grande. Quando fiz minha estreia pelo time, tinham cerca de 59 mil torcedores e a partida era no meio de semana. Teve um jogo pela Libertadores que o estádio estava lotado também e a torcida não parava de cantar. Eu estava no banco e fiquei olhando aquilo tudo e pensando: ‘essa torcida é grande demais’. O amor que os rubro-negros sentem pelo time vai muito além do que a gente pode imaginar”.

Por: Pedro Lima / da Redação