Foto:Após sequência de derrotas, técnico Itamar Schülle vive pressão no Cuiabá - AssCom Dourado


Nos bastidores do futebol mato-grossense só se fala em uma coisa. A dúvida sobre a permanência ou queda do técnico Itamar Schülle no comando do Cuiabá Esporte Clube.

Considerado ídolo do Dourado, pelas conquistas dos Campeonatos Mato-grossenses de 2018 e 2019 de forma invicta e o almejado acesso para a Série B do Brasileiro, com o vice-campeonato da Série C, o técnico sofre pressão em momento delicado na segunda divisão do futebol nacional.

De acordo com a diretoria, Itamar e sua comissão técnica tem credibilidade e não deixa dúvidas em seu trabalho. Porém, é visto pela crítica local a nitidez do abalo da equipe, que há seis jogos não vence e acumula quatro derrotas consecutivas.

Caso a atitude seja que o treinador não continue à frente do time, o Cuiabá tem algumas opções imediatas para iniciar um trabalho de meia pré-temporada de 30 dias, até o retorno da competição após a pausa para a realização da Copa América no Brasil, que começa sexta-feira(14).

O nome mais comentado é do técnico Roberto Fonseca, que livrou o Cuiabá do rebaixamento no segundo turno da Série C 2016, quase alcançou a classificação naquele ano, conquistou o Campeonato Mato-grossense em 2017 e foi liberado na quinta rodada da terceira divisão do mesmo ano, após empate contra o Fortaleza(CE) em casa. O técnico recusou propostas da Série C e está cotado para o Guarani(SP), que também passa por dificuldades na Série B e demitiu hoje o técnico Vinícius Eutrópio.

Outros técnicos estão disponíveis no mercado, caso do emblemático Lisca, que escapou o Ceará do rebaixamento da Série A em 2018, mas foi demitido após perder o título estadual deste ano para o Fortaleza(CE), e Mazola, que trabalhou no Dourado em 2013 e está sem clube desde que saiu da Ponte Preta(SP) em fevereiro. 

O experiente Givanildo Oliveira também está disponível, foi demitido do América(MG) após duas derrotas no início da Série B. Outro nome é do técnico Milton Cruz, ex-coordenador técnico efetivado no São Paulo em 2015, com passagens por Náutico(PE), Figueirense(SC) e por último Sport(PE), onde deixou o clube no início do ano de 2019.

Nomes mais distantes da realidade que estão sem clube são dos técnicos Zé Ricardo, ex-Botafogo, Alberto Valentin, ex-Vasco e Jair Ventura, ex-Corinthians.

 

Por: Da Redação


Diretor de Futebol do Cuiabá, Michel Alves, deu créditos ao técnico Itamar Schülle em treinamento pré-jogo - AssCom Dourado