Foto:Instagram/Cuiabá.E.C.


É amanhã! Cuiabá e Operário-PR se enfrentam neste sábado (22 de setembro), às 18h, pela final do Campeonato Brasileiro Série C 2018. Como nenhum dos times conseguiu abrir vantagem no jogo de ida (3 a 3) em Ponta Grossa-PR, uma vitória simples basta para conquistar o título. Um novo empate leva a decisão da taça para a disputa por penalidades. 

O jogo será realizado na Arena Pantanal, na Capital, e com direito a recorde de público da competição (superando Santa Cruz 1x0 Operário, que teve 34.474 pagantes). A carga de aproximadamente 42 mil ingressos, entre vendas, doações e gratuidades, foi esgotada com três dias de antecedência, o que deve marcar também o maior público do estádio, depois da Copa do Mundo de 2014.


O JOGO DE IDA

No Estádio Germano Krüger, a primeira partida decisiva teve todos os ingredientes de uma final eletrizante. Seis bolas na rede, intensidade dos dois lados, festa nas arquibancadas, expulsões, gol nos acréscimos e, até mesmo, confusão entre os membros das equipes. 

O Fantasma começou a peleja com tudo e abriu o placar com Dione, aos 20 segundos de jogo. No final da primeira etapa, Erick ampliou a vantagem. Na volta do intervalo, o Dourado reagiu surpreendentemente e virou o marcador, com gols de Marino (duas vezes) e Jenison. Mas Robinho empatou para os donos da casa, aos 45 do segundo tempo, e deu números finais ao confronto. 

No final do jogo, os jogadores protagonizaram um festival de cenas lamentáveis. No incidente, o atacante do Operário Schumacher recebeu o cartão vermelho.  


CONFRONTOS ANTERIORES

Nos jogos da primeira fase da Série C, o Dourado levou vantagem. Na partida do primeiro turno, realizada na Arena Pantanal, a equipe cuiabana passou por cima do Fantasma e goleou por 4 a 0. Em Ponta Grossa, no returno, os times ficaram no empate por 1 a 1. 


ESCALAÇÕES PROVÁVEIS

No Cuiabá, o técnico Itamar Schulle realizou treinos fechados durante a semana e não deu pistas de quem assume a vaga do lesionado Bruno Sávio que, com uma lesão no tornozelo, está fora. Três jogadores concorrem a posição: o meia Hiltinho, que cumpriu suspensão no confronto anterior e volta a ser opção, o também meio-campista Doda, que entrou bem nas últimas duas partidas, e o atacante João Carlos, que foi titular no jogo passado. 

Cuiabá (provável): Victor Souza, Jean, Ednei, Edson Borges, Danilo, Alê, Marino, Eduardo Ramos, Adriano Pardal, Hiltinho (Doda ou João Carlos) e Jenison. 

O Operário terá o desfalque do atacante Schumacher, que foi expulso no primeiro jogo. Porém, o técnico Gerson Gusmão terá o retorno do lateral direito Léo, que volta de suspensão. O comandante do Fantasma usou a semana de trabalho para corrigir os problemas defensivos da equipe. 

Operário (provável): Simão, Léo, Alisson, Sosa e Peixoto, Chicão, Dione, Erick e Robinho, Cleyton e Bruno Batata. 


ARBITRAGEM

O árbitro Marcelo de Lima Henrique terá a missão de apitar a finalíssima. Ele será auxiliado por Michael Correa e Silbert Faria Sisquim nas bandeiras. O quarto árbitro será Rodrigo Nunes de Sá. A equipe pertence à Federação de Futebol do Rio de Janeiro. 

 

Por: João Freitas