Foto: Esportes e Notícias


Desde o início da Copa Federação Mato-grossense de Futebol (FMF), o União tem vivido dias intensos. Depois de apenas dois jogos, o clube trocou de treinador. Odil Soares assumiu o lugar de Macena, que pediu demissão por conta de problemas com a diretoria e já comanda a equipe contra o Operário, nesta terça-feira (9 de outubro), no Estádio Luthero Lopes, em Rondonópolis.

Após estrear com o pé direito na abertura do torneio, batendo o Araguaia por 1 a 0, o Colorado foi derrotado pelo Dom Bosco pelo mesmo placar, na segunda rodada. O resultado desencadeou um desentendimento entre o antigo treinador e um membro da diretoria. Macena criticou a falta de planejamento do clube e ainda afirmou que estava sendo pressionado para modificar a escalação do time. 

Sem alimentar novas polêmicas, o presidente do União, Edicarlos Olegini, disse compreender o ex-comandante e destacou que a situação foi atípica. “Foi um caso isolado. Houve divergência de pensamento entre ele e um diretor e eu entendo a chateação dele. Mas erros e discussões acontecem e o nosso objetivo é fazer o que é melhor para o clube”, comentou. 

Para o próximo jogo, Edicarlos espera um duelo equilibrado. Segundo ele, o Operário é um dos fortes candidatos ao título da Copa FMF. “Sabemos da qualidade do adversário. Nosso novo treinador acompanhou a partida anterior do Operário e falou muito bem da equipe. É um dos times que vem pra brigar pelo título. Será um jogo muito difícil”. 

O presidente União, porém, destacou que a troca na comissão técnica do time mexeu com o comportamento dos atletas e que o efeito pode ser positivo para a sequência do torneio. “A expectativa para o jogo é a melhor possível. O grupo se preparou bem durante a semana. O Odil tem um perfil enérgico e isso já gerou um impacto na postura dos jogadores. Esperamos que a equipe corresponda em campo para garantirmos a classificação o mais rápido possível”, ressalta Edicarlos. 

 

 

Por: João Freitas