Foto:Junior Martins


O Circuito Estadual de Tênis de Mato Grosso concluiu 2018 com crescimento de 245,5% em número de tenistas inscritos, 30% em quantidade de torneios anuais e 66,7% em quantia de cidades-sede na comparação dos resultados deste ano com 2015 (ano marco). Com recorde de inscritos com a 4ª Copa Borges Veículos de Classes e recorde de premiações em dinheiro com o Mega Torneio de Tênis da Construção Civil. E há previsão de mais progresso para o próximo ano (2019).

De acordo com o presidente da Federação Mato-grossense de Tênis (FMTT), instituição responsável pelo fomento da modalidade no estado, Rivaldo Barbosa, o Circuito Estadual de Tênis, que é o principal evento do tênis estadual, teve a quantia de inscrições anuais de tenistas elevada de 672 (em 2015) para 2322 (em 2018), a quantia de torneios ampliada de dez (2015) para treze (2018) e a quantia de cidades-sede expandida de três (em 2015) para cinco (em 2018).

“Uma nova e atuante diretoria assumiu a entidade em outubro deste ano e esse novo mandato será fundamental para darmos suporte ao atual momento de evolução do tênis. Continuaremos a incentivar a adesão de novos praticantes, de novos clubes e academias, de novas cidades no elenco de sediantes e a capacitação de professores e técnicos. E temos a boa notícia de que a academia Ponto do Tennis, de Lucas do Rio Verde, sediará torneio em 2019”, diz Barbosa.

Dentro do indicador anual de inscrições de tenistas, os torneios 3ª e 4ª edições da Copa Borges Veículos de Classes registraram recordes de participações de atletas por dois anos consecutivos, tendo alcançado o total de 313 inscrições em 2017 e 393 em 2018, respectivamente. E, consoante o administrador da Copa Borges e vice-presidente de relações esportivas da FMTT, Joílson Borges, a média de inscrições por ano era de 67,2 em 2015 e subiu para 178,6 em 2018.

Dentre os vários fatores que contribuíram para o atual cenário do tênis, conforme o vice-presidente Borges, está a personalização administrativa de cada torneio por academias e clubes filiados, os quais passaram a ter maior autonomia, desde 2015, e serem protagonistas de vários processos organizacionais na produção de um evento esportivo. E, segundo Borges, um dos muitos processos que pode ser destacado é o alargamento dos métodos de captação de inscrições.

Para a vice-presidente de administração e finanças da FMTT, Maria do Carmo Mendes, o crescimento vivenciado pelo tênis se deve a união dos esforços da federação, clubes, academias, assessoria de imprensa, professores, tenistas e familiares. Ela frisa: “O interesse pela modalidade cresce anualmente e prova disso é a participação cada vez maior de famílias na arena do saibro. Todos com objetivos e sonhos e promovendo saúde, autoestima e espírito de equipe.

Por: Assessoria FMT