Foto:Olhar Esportivo


No sábado(23) passado, o Mixto Esporte Clube encarou o Clube Esportivo Operário Várzea-grandense na Arena Pantanal. O jogo de ida pelas quartas de final do clássico no Campeonato Mato-grossense terminou empatado sem gols.

O técnico Toninho Pesso, do Alvinegro, vê a atuação de forma positiva, já que nos bastidores, o CEOV é considerado favorito para o confronto, pois fez a segunda melhor campanha da primeira fase. 

"Avalio de forma positiva, porque antes do jogo já estava decretada a derrota do Mixto, para a maioria. Futebol não é assim, é jogado dentro de campo, 11 contra 11, nosso time tem coragem, é um time qualificado quando tem todas as peças a disposição, ainda faltou o Marlon, o Arilton, então, tem que ter um pouco mais de respeito com a camisa do Mixto, do trabalho que vem sendo feito", desabafou Toninho Pesso.

De acordo com ele, o clássico será disputado mais uma vez no duelo de volta, que será na próxima quarta-feira(27), às 20h30, novamente na Arena Pantanal.

"Quarta será outra batalha, é clássico, é dessa maneira, brigado, sem chance para cada lado, fomos superiores no primeiro tempo, criamos mais e a chance deles foi em uma entregada nossa. Mas o oba-oba estava demais, que já tinha ganhado, que já passou e futebol não é dessa maneira", insistiu Pesso.

O Mixto praticamente não repetiu a sua escalação desde o início do campeonato e o técnico sofre com isso para escalar a melhor equipe. Para o próximo jogo, o volante Léo, que jogou como lateral-direito, está suspenso pela expulsão no clássico. O lateral-direito Arilton e o zagueiro Marlon, que não jogaram, seguem como dúvidas, em recuperação. Além disso, o meio-campo Arthur, destaque na competição, sentiu lesão no final da partida e será avaliado.

"Eu não repeti nenhum time desde o começo do campeonato, não tive condições. Vamos de novo quebrar a cabeça, agora é hora de mostrar quem é quem. Coloquei o Léo na lateral, porque tem força para isso, mas já foram duas expulsões, irei conversar sobre isso. O Marlon, um dos destaques do campeonato, está praticamente fora, mas o Wellingtom (zagueiro) mostrou para que veio, jogou comigo ano passado em Alagoas e encaixou bem. Ainda tem o caso do Arthur, um jogador indispensável, fora de série, mas creio que ele vai ter condições de estar em campo", completou, Toninho Pesso.
 
 
 
 

Por: Da redação