Clubes voltando aos treinos e mercado começa a ficar agitado. O Cuiabá Esporte Clube nesse período repatriou Jenison e Felipe Marques, além de contratar o zagueiro Everton Sena e os atacantes Yago e Fabrício Daniel, que vieram do futebol paulista.

E por que não sonhar com um grande nome?

O meia Jadson está livre no mercado desde fevereiro e poderia ser a peça que falta para o Cuiabá mudar seu patamar na Série B. O Jogador de 36 anos não tem histórico de lesões graves, e com sua experiência poderia muito bem ser o líder que faltou na campanha de 2019.

O Cuiabá possui um elenco que pode sim brigar pelo acesso no Brasileiro da Série B em 2020, mas para mudar de patamar e impor respeito nos adversários é preciso sim um jogador de renome internacional e que lidere o elenco promissor do Dourado.

Mas seria o Jadson um novo Escudero no Cuiabá? Escudero tinha um histórico de lesões graves e crônico, o que ficou comprovado durante a sua passagem pelo Dourado. Jadson não. Em 2019 Jadson atuou 38 vezes, sendo 18 como titular, muito por escolhas do então técnico corintiano. Para se ter uma ideia, em 2018 o meia atuou por 51 partidas e apenas duas vezes foi reserva.

Atuando como meia centralizado e mais próximo do gol, Jadson poderia ser muito útil e municiar o ataque do Dourado que hoje conta com o destaque da Série B de 2019 e o destaque do acesso em 2018.

O salário que Jadson recebia no Corinthians era de cerca de R$ 320 mil, padrão alto para o Cuiabá, mas sentar e conversar não tem custo nenhum, com um bom projeto de marketing e principalmente um projeto esportivo, podem ser atrativos para o jogador.

Esse é o perfil que o Cuiabá precisa para se tornar um forte candidato ao acesso para a Série A em 2021.

Jadson que foi formado pelo Athletico, passou sete anos na Ucrânia, teve passagens pelo São Paulo e China, tendo maior destaque no Corinthians, onde foi bi campeão brasileiro e venceu três paulistas. Neste mês, o meia em entrevista para o programa Os Donos da Bola, afirmou ter duas propostas em mãos, uma do Brasil e outra da Arábia Saudita, e o mesmo afirmou que irá esperar o término da pandemia para tomar uma decisão.

Leia também: O Futebol pós-Pandemia