"Lugar de mulher é onde ela quiser." Será mesmo? Quem convive com torcedoras de times mato-grossenses ou nacionais sabe muito bem que não é fácil. Sair de casa vestindo a camisa do seu time do coração, chegar no estádio e muitas vezes ser olhada de uma forma diferente, como se somente os homens fossem dignos de estar ali naquele local.

É lamentável em pleno século XXI termos que conviver com algumas situações, ouvir coisas do tipo: "Mulher não entende de futebol, você sabe o que é pênalti?". São tantas as perguntas e questionamentos no qual fazem elas se sentirem incomodadas, quando a verdade é que elas mostram que além de acompanhar o time com frequência,  entendem sim do assunto, mais do que muitos homens que fazem julgamentos prévios baseados em preconceitos.
 
Ao meu ver, a mulher está ocupando o seu espaço no mundo esportivo não só no futebol mas em toda a imensa área de Marketing, Jornalismo, Rádio... Ela passa a ser não apenas uma torcedora, mas profissionais que gostam do que fazem e buscam sempre o melhor em conhecimento e lutam cada vez mais pelo seu espaço na sociedade.
 
Vejo muitas torcedoras nas arquibancadas dos estádios aqui no Estado, converso com algumas e já presenciei situações não muito agradáveis, mas que temos que saber lidar. Somos mulheres, torcedoras, Juízas, Árbitras, Bandeirinhas, Jornalistas, Musas...
 
Todas nós merecemos respeitos e ter que reafirmar isso em 2018 é tão triste quanto necessário.
 
Foto: Assessoria Cuiabá E.C