Nova Mutum Esporte Clube: um time que se sagrou campeão nas duas primeiras competições profissionais disputadas em sua história.

Fundado em 1988, o Nova Mutum, da cidade do médio-norte do estado de Mato Grosso, às margens da BR-163, ingressou ao futebol profissional somente recentemente em 2019, sendo de cara campeão da Segunda Divisão, e agora da elite do Campeonato Mato-grossense 2020.

Em uma pequena cidade com menos de 50 mil habitantes, porém próspera, sendo uma das maiores produtoras de grãos do país, entre as 10 maiores economias no Produto Interno Bruto - PIB, cresce um clube abraçado pela população local que visa se fixar no cenário nacional. O estádio Valdir Doilho Wons já foi palco dos jogos do Azulão da Massa, lançado neste ano pela Prefeitura Municipal.

Um trabalho sério, com planejamento, que colheu um título épico. Após uma primeira fase na quinta colocação, o Mutum não se rendeu à pandemia e retornou com o projeto forte no mata-mata.

Para se ter uma ideia, em seis jogos, o time de muita consistência defensiva sofreu apenas um gol (no apagar das luzes) e eliminou todos os concorrentes do nortão (Sinop e Luverdense) no tempo normal. Na decisão, foram duas vitórias diante do União, com a taça levantada fora de casa, no Luthero Lopes.

O time comandado pelo técnico da nova safra Willian De Mattia é composto por jogadores de outros estados, com a maioria do sul do país. Aliás, o clube é gerido por pessoas oriundas de lá, a exemplo do presidente Anir Siqueira, paranaense, do Diretor Farnei Coelho, gaúcho, do próprio técnico Dema, catarinense, além de outros profissionais e associados. Afinal, Mutum é colonizada pela população sulista.

Dentro de campo, se viu um time de alta intensidade, com marcação dobrada nos adversários e obediência tática, da defesa ao ataque. Uma espécie de falso nove aumenta o volume de jogo e cria oportunidades agudas em triangulações. Principalmente nos últimos jogos, o autor do gol do título, Fernandinho, que ganhou espaço entre os titulares na reta final, com a lesão de Rennan Oliveira na semifinal, teve a companhia do camisa 10 de boa estatura Welder, que hora arma o time e hora busca ser referência no ataque.

Além disso, teve um meio-campo dinâmico, liderado por Willians e Jonathan Cabeça. Uma defesa alta, com a dupla Taison e Mendonça, laterais que marcam e apoiam, a exemplo do Gustavo Nogy, que deu assistência “com a mão” na final para Fernandinho. E o principal, um conjunto focado no objetivo.

O elenco atual e o desempenho da equipe são detalhes a serem observados, mas o espírito de profissionalismo é que aumenta a esperança de se ver uma nova força mato-grossense. Já vimos exemplos como o Luverdense, de uma cidade pequena, mas que representou o estado por quatro anos na Série B.

Poderia escrever mais linhas sobre as qualidades do debutante e campeão Nova Mutum Esporte Clube, mas vamos esperar os próximos capítulos desta nova temporada, com competições como Copa do Brasil, Série D do Brasileiro e Copa Verde 2021.

CONFIRA O LINK COMPLETO PARA COMENTAR!