Dados da Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas mostram que por ano morrem mais de 300 mil pessoas no Brasil vítimas de arritmias cardíacas e algumas pessoas nem chegam a descobrir que tinham algum problema no coração por não terem o costume de fazer consultas no médico cardiologista.

A arritmia que é o descompasso no ritmo dos batimentos cardíacos pode agir de forma silenciosa causando o derrame, ou AVC, o acidente vascular cerebral. Um outro tipo de arritmia pode provocar a morte súbita e de uma maneira bastante rápida.

“As pessoas que tem alteração no ritmo do coração sem ter passado por um esforço ou exercício físico seguido por falta de ar, cansaço extremo, tonteiras e desmaios inexplicáveis tem que procurar um médico que pode ser um candidato a ter arritmia cardíaca”, informa o cardiologista e arritmologista José Silveira Lage.

O médico alerta que as pessoas devem além de consultar anualmente um cardiologista ficar atentos aos sintomas que o corpo dá e também realizar exames laboratoriais simples como de sangue para medir os níveis do colesterol, do açúcar no sangue,  aferir a pressão arterial constantemente, praticar exercícios físicos e evitar o cigarro, dicas simples que podem salvar uma vida.