Antes de começar os questionamentos se o regulamento permite ou não, vamos partir do novo início, contar uma nova história para o futebol mato-grossense neste artigo.

ponto de partida é a incógnita sobre o estadual 2020, que foi paralisado em combate ao coronavírus, pandemia mundial que gerou suspensão de todas as competições esportivas, inclusive Champions League, Libertadores, e adiamento das Olimpíadas, Eurocopa e Copa América para 2021.

Sem um prognóstico para a atual situação, pensamos na seguinte hipótese, friamente temos que tomar uma decisão e tentar ser o menos injusto possível. Uma saída para isso seria o CANCELAMENTO DA COMPETIÇÃO.

Alguns times já dispensaram seus atletas e até técnicos, outros estavam garimpando receitas para continuar a segunda fase, porém a maioria que depende exclusivamente de verbas vindas dos patrocinadores, já não possuem mais e não almejam o retorno no momento, até porque os patrocinadores querem aparecer e não tem competição para isso. Além disso, diante das decisões tomadas pelos clubes da Série B, inclusive pelo Cuiabá, teremos no mínimo mais um mês de espera, dissemos no mínimo.

Entramos assim em colapso financeiro, e o que é pior, não seria um ano deixado para trás, e sim uma história de clubes possivelmente falidos e sem credibilidade para trazer jogadores de dentro e de fora de Mato Grosso num futuro breve, pois devem aumentar o endividamento e não conseguir competir por conta de burocracias, certidões, alvarás, e uma série de situações que possam vir no decorrer da contabilidade de cada clube.

Lembramos que estamos em Mato Grosso, nossa realidade perante ao cenário nacional é muito baixa. Sim, temos um time na Série B, mas no momento estamos friamente pensando nos TIMES, na essência da palavra NO PLURAL.

Não queremos um representante, queremos ser representados, dizemos isso por me referir aos times de Norte a Sul do estado de Mato grosso.

Ainda não convencemos né leitor? Mas se chegou até aqui, está nos levando em consideração pelo momento ímpar vivido no mundo, vamos continuar.

No início desse texto dissemos, “vamos contar uma nova história”, é isso que está a propor.

As vagas da Copa do Brasil para 2021:

Três vagas precisam ser preenchidas, pois estamos falando de mais de R$ 1,5 MILHÃO injetados no futebol mato-grossense.

Uma vaga permanece para o Campeão da Copa FMF, que não deve ter nesse ano limite de idade, para que seja aproveitado o máximo possível da estrutura atual dos times.

São 2 VAGAS destinadas através do Estadual:

Uma vaga ficaria destinada através do Campeonato Mato-grossense Sub-17, para assim uma possível maior democratização das vagas, pois é uma estrutura bem mais enxuta que o estadual e incentiva nossas categorias de BASE, precisamos urgente disso.

Uma vaga para o campeão da Segunda Divisão deste ano, no segundo semestre, uma grande oportunidade para esse time vir mais nivelado financeiramente para a elite do futebol Mato-grossense, além de reaparecer no cenário nacional.

As DUAS vagas na Série D?

Para se jogar uma Série D não basta querer, precisa ter no mínimo uma boa verba, ainda mais com o aumento de calendário, para isso, a disputa mais democrática pelas vagas na Copa do Brasil, pode alavancar um clube a buscar esse sonho de jogar o Brasileiro.

No momento temos Operário VG e União com as vagas na Série D de 2020, conquistadas através do Estadual do ano passado.

Manteria os dois credenciados para a Série D de 2021, mas em caso de acesso de um deles no ano atual, ou dos dois, abriria mais uma ou duas vagas para o estado, assim trazendo um bom senso, unindo os clubes para uma nova época do futebol regional.

Outra opção para as vagas da Série D, é colocar uma das vagas em disputa no Campeonato Mato-grossense Sub-19, valorizando a base de transição ao profissional, e a outra também para a Copa FMF, que será disputada pelos 10 clubes que jogaram a Primeira Divisão deste ano.

Pontos relevantes

1 - Nivelamento financeiro dos times;

2 - Democratização nas vagas;

3 - Incentivo à base, com oportunidade e exposição de possíveis atletas de alto rendimento dessa categoria;

4 - Fôlego e cenário para quem está subindo de divisão;

Como fizemos no início queremos exemplificar algumas possíveis situações:

Luverdense jogou contra o Corinthians no Passo das Emas, foi uma excelente oportunidade que o LEC teve e aproveitou, o tanto que soube explorar isso e se tornar uma marca forte até pouco tempo atrás, porém não perdurou, mas a oportunidade foi dada!

Agora imagine Poconé, Nova Mutum, Araguaia, Dom Bosco, entre outros, com um alavanque desse de prosperidade, a cidade apoia o time e ele pode começar a escrever NOVAS HISTÓRIAS! Mas para isso, pacientes leitores, precisamos dar as OPORTUNIDADES.

Vamos criar essa nova história!

Internautas, queremos pedir mais um favor, além do seu tempo para ler este artigo até aqui, por favor, contribuam. Já diziam, “várias cabeças pensam melhor do que uma”.

Deixe sua crítica, sua sugestão e vamos JUNTOS ESCREVER ESSA NOVA HISTÓRIA DO FUTEBOL MATO-GROSSENSE.