Cuiabá,

domingo, 16

de 

janeiro

 de 

2022
.

ENQUETE APONTA PREFERÊNCIA DA POPULAÇÃO POR METRÔ

A realização da Copa 2014 em Cuiabá trará inúmeros benefícios e um legado fantástico para a capital. A construção do novo estádio Verdão, metrô de superfície, melhorias no trânsito, segurança, saúde e turismo mais forte devem ser a herança do evento que acontecerá na cidade. A conquista da sede trouxe fortes expectativas para a população, mas, a construção do metrô de superfície ligando Cuiabá e Várzea Grande parece ser o principal anseio. Pelo menos é o que aponta a enquete com o tema “Qual será a principal obra da Copa 2014 para Cuiabá?”, realizada pelo site Copa no Pantanal (copanopantanal.com.br) que viu a preferência pelo metrô disparar.
 
Até o início da tarde desta terça-feira, a opção “metrô de superfície” liderava a enquete com 38% da preferência.  Em segundo lugar na pesquisa aparece a preferência por um trânsito melhor na capital, com 15% de todos os votos. Empatados com 13% estão as opções “mais empregos” e “novo estádio Verdão”. A enquete, que continua ativa, viu, na manhã desta terça-feira (16),um empate nas alternativas “mais segurança”, “novo aeroporto” e “mais turismo”, com 7% dos votos.
 
Outra enquete paralela do site Copa no Pantanal, não vê aprovação da população pelo novo projeto do estádio Verdão. A pesquisa registrou 36% de rejeição com o novo desenho. Acham razoável 32%. Na soma, 31% dos votos são de pessoas que acham ótimo o novo projeto.
 
Metrô de superfície – Disparado em primeiro lugar na enquete do site Copa no Pantanal como “principal obra” do Mundial 2014 para Cuiabá, o tema metrô de superfície foi discutido na manhã desta terça-feira, em audiência pública na Assembléia Legislativa. A convocação foi feita pelo presidente da Casa, deputado José Riva (PP), que em função da Copa de 2014 acredita que é importante debater a viabilidade de executar o projeto neste momento.
 
Riva mobilizou o Governo do Estado, secretários, representantes do Detran, Ager, bancadas federal, municipal e estadual, Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (CREA), universidades, Instituto de Arquitetos do Brasil, Associação Mato-grossense de Transportadores Urbanos (MTU), dentre outros segmentos.
 
No requerimento para a audiência pública, Riva destaca a precariedade do trânsito na Grande Cuiabá e cita o professor do curso de Engenharia Civil da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Eldemir Pereira de Oliveira, que argumenta “não basta ter um governo atento ao sistema de transporte, mas a cidade precisa de políticas públicas nas quais estejam estabelecidas metas para a continuidade das ações, independente do partido ou do administrador. É preciso criar no cuiabano uma cultura de transporte. Isso passa por investimentos de curto e longo prazo, bem como de um trabalho educativo dos motoristas e pedestres.”
 
Nas ruas de Cuiabá e Várzea Grande trafegam cerca de 215,3 mil veículos. O número representa o crescimento de 20% em relação à frota de veículos registrada em 2005, pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran). O que representa que em três anos e quatro meses 35,1 mil novos veículos foram colocados nas ruas das duas cidades, gerando engarrafamentos.
 
Com discussões iniciadas na década de 1990, há previsão do VLT atender uma demanda diária de mais de 20 mil passageiros. Desde aquela época surgiram empresas internacionais interessadas na construção das linhas. Conforme a proposta, a ideia inicial é a de que sejam feitos dois ramais do metrô/VLT, um no eixo Aeroporto Marechal Rondon até a região do CPA e outro interligando a região do Coxipó até a região do bairro Santa Rosa.

Notícias Relacionadas

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui