Há um mês, Igor Mota, Andrei Vargas, Hátila Fogo e Heron Azevedo, preparavam-se para entrar em campo pela Copa do Mundo de Futebol Americano. Agora, é a vez deles repassarem toda a experiência aprendida durante o Mundial aos demais atletas do Arsenal que treinam para o segundo jogo da Etapa Centro-Sul do Campeonato Brasileiro.

O time tem pela frente o Coritiba Crocodiles, um dos maiores rivais da equipe no cenário nacional. O jogo ocorre dia 16, na casa do adversário, em Curitiba.

Para o capitão da equipe, Igor Mota, a Copa foi a melhor experiência que ele já vivenciou e esse conhecimento todo não pode ficar guardado apenas para quem foi ao Mundial.

“A intensidade de treino, as jogadas, as dinâmicas e estratégias estão sendo repassadas para os demais jogadores da equipe. Tenho certeza que todos os atletas da Seleção Brasileira estão fazendo isso com seus respectivos times, e isso vai fazer com que o esporte evolua muito rápido”, afirma.

Segundo ele, a experiência adquirida também é válida para as novas equipes, pois elas vão construir sobre bases já consolidadas e, assim, acelerar o desempenho para chegar ao nível das demais.

“Todo esse envolvimento dos atletas da Seleção e o trabalho que vem sendo feito com as equipes deverá afunilar o nível da competição deixando as partidas mais disputadas e emocionantes”.

O recebedor Heron Azevedo, que é um dos técnicos da equipe, diz que o maior objetivo dos jogadores é criar uma nova geração de atletas que comece cada vez mais cedo a treinar e desenvolva um alto nível de habilidade técnica.

“Precisamos criar uma mentalidade de categoria de base para o nosso país e assim trabalhar esses jovens desde cedo, como já é feito na maioria dos países onde se pratica esta modalidade. Só assim poderemos jogar de igual para igual e colocar o Brasil mais perto do topo. Nós acreditamos nisso”.

Foto: Rogério Florentino Pereira

Por: Caroline Pinnow