Cuiabá,

terça-feira, 30

de 

novembro

 de 

2021
.

Rexona é hexacampeão da Superliga!

O conjunto venceu o talento individual. A raça venceu o melhor elenco. A calma venceu a ansiedade. O Rexona venceu o Finasa por 3 sets 2 e faturou o ouro na Superliga pela sexta vez na quinta final consecutiva contra o time de Osasco. Por enquanto, não adianta fazer nada, Rexona é melhor que o Finasa nas decisões.


No jogo da manhã deste sábado, as duas equipes estavam jogando mal. Logo no primeiro set, o Finasa desperdiçou contra-ataques e não conseguiu bloquear as largadas do Rexona. Do lado carioca, melhor bloqueio e vitória por 25 a 22. Na parcial seguinte, a situação se inverteu, quem passou a usar mais largadas foi o Finasa , que também cresceu no bloqueio e empatou o jogo, fechando em 25 a 21.


O terceiro set foi o momento do saque decisivo e do Finasa crescer no jogo. Carol Albuquerque, que mesmo com a bola na mão não estava distribuindo bem, foi para o serviço e seu time fez sete pontos enquanto ela estava no fundamento. Com isso, dominou e fechou em 25 a 18.


A partir daí, o duelo voltou a ser o Rexona x Finasa conhecido de sempre de todas as decisões. Enquanto as paulistas perderam a potencia no ataque, as cariocas voltaram para o jogo na raça e no conjunto. Monique virou a jogadora de segurança na ponta. Fabi fechou o fundo de quadra e colocou a bola na mão de Dani Lins. E Dani Lins teve sempre que precisou a gigante Fabiana na rede. Com um grupo melhor e mais concentrado, o Rexona virou no 24 a 24 se aproveitando de um erro de Carol Albuquerque e depois fechou por 27 a 25.


No tie-break, o cenário foi o mesmo. Após um começo ruim com erros e com o Finasa na frente, o Rexona se encaixou e se aproveitou mais uma vez das bolas de Monique. O diferencial do lado carioca foi o contra-ataque. Ao contrário do time paulista, as cariocas não deixavam passam a chance de matar o ponto. E não deixaram passar a chance de cresce no momento que precisavam e fechar em 15 a 12 e gritar mais uma vez “é campeão”.


A final da Superliga mostrou que um time não precisa apenas ter bons nomes. O Finasa era equipe com o melhor elenco e ficou com o vice. O São Caetano foi um dos mais badalados com as contratações de Mari, Sheilla e Fofão e demorou mais da metade da Superliga para se encontrar e terminou em terceiro lugar. Quem foi o campeão? Aquele que, mesmo perdendo grandes atletas como Thaísa e Sassá, soube ter maturidade de lutar e virar e jogar unido. Mesmo sem a atuação espetacular apresentada nas semifinais, o Rexona mostrou a que veio. E como um típico time de Bernardinho, as 12 jogadoras foram importantes. Prova disso é Monique, reserva em toda a competição e decisiva na final. Parabéns Rexona, o domínio do vôlei nacional é seu, sem dúvida!


 

Notícias Relacionadas

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui