Cuiabá,

terça-feira, 30

de 

novembro

 de 

2021
.

TJD absolve Mixto e pune o Operário

Uma declaração do presidente da Federação Mato-grossense de Futebol, Carlos Orione, de que bastava que os jogadores estivessem registrados na entidade para ter condições de jogo na primeira rodada, foi o suficiente para que o Tribunal de Justiça Desportiva anulasse a decisão da Comissão Disciplinar e devolvesse os seis pontos que o Mixto perdeu no processo requerido pelo Sinop. O Operário, que perdeu seis pontos no mesmo processo, acabou punido, pois se manteve irregular além da primeira rodada. Hoje a equipe de Várzea Grande passa por novo julgamento. Mas não deve ser punido. Será em relação ao jogo contra o Palmeiras pela primeira rodada e que tinha o aval da irregularidade pela FMF.


O primeiro julgamento da noite foi do Mixto. O relator do processo, Mário Cardi, pediu a absolvição do clube, alegando que a diretoria agiu de acordo com uma decisão da FMF que não exigia que os jogadores fossem registrados na CBF para a primeira rodada do Campeonato. O voto de Cardi foi seguido por outros seis membros do tribunal. Outros três votaram pela perda dos pontos. Com a decisão o Mixto, que corria o risco de ser rebaixado para a Segunda Divisão, recuperou os seis pontos e termina a primeira fase com 19 pontos. Os jogadores e comissão técnica ainda estão em Cuiabá e hoje treinam já visando ao jogo de amanhã.


Logo depois ao julgamento do Mixto, iniciou o processo do Operário. O advogado do clube reclamou que a diretoria não foi avisada pela FMF de que teria de regularizar os jogadores, mesmo estando na segunda rodada. O relator Ademar Francisco de Caravalho lembrou que a FMF havia permitido a irregularidade apenas para a primeira rodada. Seu voto foi seguido por todos os membros do tribunal. (Com reportagem de Admar Portugal)

Notícias Relacionadas

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui