Cuiabá,

quinta-feira, 29

de 

fevereiro

 de 

2024
.

Webber vence e assume a liderança do Mundial

Australiano brilha e, com punição a Vettel, e dia infeliz da McLaren, retoma ponta da tabela. Massa é quarto


Com uma atuação brilhante, Mark Webber venceu neste domingo o Grande Prêmio da Hungria de Fórmula 1 e assumiu a liderança do campeonato. Para retomar o topo da tabela, o australiano da Red Bull contou com um dia infeliz da McLaren, que teve uma quebra com Lewis Hamilton e um oitavo lugar de Jenson Button. Agora, Webber soma 161 pontos, contra 157 de Hamilton, 151 de Sebastian Vettel, o terceiro cololcado na prova após uma punição, 147 de Button e 143 de Fernando Alonso, o segundo no GP.

Em relação aos brasileiros, Felipe Massa fez uma corrida correta, mas discreta, e terminou na quarta posição, enquanto Rubens Barrichello, apesar de uma tática equivocada da Williams em mantê-lo na pista durante uma entrada do safety car, marcou um ponto com a décima posição após uma ultrapassagem sensacional sobre Michael Schumacher, mesmo com uma trancada acintosa do alemão na reta dos boxes. Já Bruno Senna terminou em 17º, um posto à frente de Lucas di Grassi.

Também marcaram pontos em Hungaroring Vitaly Petrov (Renault), em quinto lugar, Nico Hulkenberg (Williams), em sexto, Pedro de la Rosa (Sauber), em sétimo, e Kamui Kobayashi (Sauber), em nono

A CORRIDA

A largada foi agitada, com Vettel mantendo a ponta com Alonso tomando o segundo lugar de Webber e Massa segurando a quarta posição, com Petrov e Hamilton logo atrás. Ainda no começo, o inglês da McLaren se livrou logo do russo, enquanto Vettel abria um segundo por volta de Alonso, que segurava Vettel e Massa atrás de si.

Quando se desenhava um passeio de Vettel, um lance mudou a prova, quando um pedaço de carro ficou no meio da pista e a direção de prova acionou o safety car. O alemão entrou nos boxes, assim como Alonso, Massa e Hamilton, mas Webber permaneceu na pista e assumiu a ponta.

Na confusão que se formou nos boxes, a McLaren devolveu Hamilton à frente de Massa. Além disso, a Renault liberou Robert Kubica enquanto Adrian Sutil, da Force India, estacionava seu carro nos boxes, tornando o choque inevitável. Outro incidente ocorreu quando a Mercedes mandou Nico Rosberg de volta sem a roda traseira direita apertada – o alemão abandonou.

Sem ter feito a parada e ainda com os pneus moles da largada, Webber teria de abrir cerca de 20 segundos de vantagem sobre os adversários para poder realizar seu pit stop e voltar na ponta. O australiano, então, começou a encaixar uma sequência de voltas rapidíssimas, ao passo que Vettel não conseguia um grande ritmo com os pneus duros.

Foi quando surgiu a notícia de uma punição a Vettel, que, durante a bandeira amarela, manteve uma distância maior do que a regulamentar para o safety car. O alemão reclamou muito, mas teve de passar pelos boxes, o que o deixou logo atrás de Alonso e à frente de Massa, que recuperou o quarto lugar com a quebra do eixo do McLaren de Hamilton. Já Webber, com uma atuação sensacional, abriu mais de 20 segundos e voltou com folga à frente após seu único pit stop.

Já Vettel, que se desenhava como grande favorito à vitória, não conseguiu ficar numa posição em que pudesse tentar uma ultrapassagem sobre Alonso. No fim, o alemão tirou o pé propositalmente para dar distância ao piloto da Ferrari e fez a melhor volta da prova na última passagem, como se quisesse mostrar que era o mais rápido da corrida.

Mas o grande momento do GP da Hungria acabou sendo uma inesperada e duríssima batalha entre os desafetos Michael Schumacher e Rubens Barrichello, ex-companheiros de Ferrari. Durante muito tempo, por não ter ido aos boxes durante a entrada do safety car, Barrichello ficou em quinto, mas depois do pit stop obrigatório caiu para 11º, atrás do alemão. Com pneus novos, Rubinho foi para cima de Schumacher, e, após ser bloqueado várias vezes, o brasileiro tentou uma ultrapassagem na reta dos boxes e foi fechado acintosamente no muro. Por sorte, mesmo após colocar as rodas na grama, o piloto da Williams conseguiu a ultrapassagem.

Alheio aos duelos dos outros, Webber rumou tranquilamente para sua quarta vitória na temporada justamente na corrida em que a Red Bull completava seu centésimo grande prêmio na categoria. Um presente de quem há duas corridas, na Inglaterra, reclamou de ser preterido na equipe em relação ao mais badalado companheiro de equipe.

Agora, a Fórmula 1 entrará de férias e só voltará dia 29, com o GP da Bélgica.

Notícias Relacionadas

Comentários

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here